BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 25 de junho, 2004 - 13h47 GMT (10h47 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Doença do cacau brasileiro ameaça produção mundial, dizem pesquisadores
 

 
 
Planta de cacau
A doença vassoura-de-bruxa atingiu plantações de cacau no Brasil
A produção mundial de cacau pode cair consideravelmente se doenças que atacam plantações na América do Sul se espalharem por outras regiões produtoras do fruto, segundo cientistas britânicos.

Milhares de pessoas perderam o emprego na Bahia quando as plantações de cacau foram infectadas pela vassoura-de-bruxa, doença que provoca o apodrecimento das folhas e dos frutos dos cacaueiros.

A doença está sendo controlada no Brasil e novos postos de trabalho voltaram a ser abertos na Bahia desde 2003. Mas pesquisadores britânicos, em artigo publicado na revista Biologist, dizem que, se a doença atingir plantações de cacau na África, os efeitos podem ser devastadores.

Brasil

"Na Bahia, a destruição causada pela vassoura-de-bruxa foi terrível", disse Gareth Griffith, professor da Universidade do País de Gales e co-autor do artigo. "A estimativa é que 200 mil pessoas perderam seus empregos e que mais de 2 milhões foram indiretamente afetados."

A vassoura-de-bruxa é um fungo que ataca as folhas e os frutos do cacaueiro.

Segundo Griffith, a doença foi identificada no começo do século 20 e provavelmente evoluiu na floresta amazônica.

O pesquisador acredita que a doença se espalhou regionalmente em um primeiro momento, até que as plantações de cacau se revelaram como um local propício para a propagação do fungo.

Griffith também acredita que as viagens de plantadores de uma região para outra provavelmente ajudaram a doença a se espalhar.

"As pessoas pegam sementes que acreditam ser saudáveis e levam para plantar em outras regiões. Mas isso pode levar a doença a essas áreas", diz Griffith. "Foi assim que a vassoura-de-bruxa chegou ao Equador e provavelmente à Bahia."

Batalha

De acordo com Griffith, quando a vassoura-de-bruxa ataca uma plantação, a safra pode cair até 90%. E, apesar de um século de pesquisas, ninguém ainda apresentou uma estratégia efetiva de controle.

Recentes planos de combate incluem o desenvolvimento de uma linhagem resistente da planta de cacau.

"Na Bahia, eles estão empenhados em criar uma linhagem resistente porque as plantações foram realmente afetadas na região", disse o pesquisador britânico Bob Eagle. "Então eles testam plantas que conseguem crescer apesar da doença, para observar se existe alguma resistência natural que possa ser analisada."

A América do Sul produz 10% do cacau do mundo. A maior produtora é a África, responsável por mais da metade da produção do fruto.

Griffith diz que a chegada da vassoura-de-bruxa ao Oeste africano pode ser catastrófica.

"No oeste da África há milhares de famílias que dependem do cacau. A doença poderia devastar o sustento dessas famílias."

Mas o diretor-geral da Associação de Biscoitos, Bolos, Chocolates e Doces, Mike Webber, diz que a situação é improvável. "Nós estaríamos preocupados se a gente acreditasse que há um risco sério de a vassoura-de-bruxa chegar ao oeste africano. Mas o sistema de quarentena é rígido para qualquer planta que circule de uma região a outra."

"As plantas ficam em quarentena por meses e só são transportadas quando atestado que são saudáveis", disse ele.

Mas, segundo Griffith, as chances existem, e alguma atitude precisa ser tomada antes que seja tarde.

 
 
LINKS EXTERNOS
 
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade