BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 16 de fevereiro, 2007 - 12h15 GMT (10h15 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Comer peixe na gravidez pode ajudar criança, diz estudo
 
Consumir peixe na gravidez tem benefícios duradouros para a criança
Consumir peixe e frutos do mar durante a gravidez pode trazer benefícios a longo prazo para a criança, segundo uma pesquisa britânica.

Crianças de mães que se alimentaram com muito peixe durante a gravidez apresentaram melhores índices de habilidades sociais e de comunicação aos sete anos de idade, segundo o estudo publicado na revista científica Lancet.

Os resultados pode ajudar a contrapor os temores de que o consumo de peixe durante a gravidez oferece eventuais riscos de intoxicação para mulheres grávidas.

Os pesquisadores da Universidade de Bristol e do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos fizeram questionários a 11.875 mulheres grávidas sobre o consumo de peixe e frutos do mar.

Os cientistas acompanharam as habilidades sociais, de comunicação, de coordenação motora e o QI dos filhos e filhas dessas mulheres até a idade de oito anos.

Fatores sócio-econômicos também foram levados em conta além de informações sobre a dieta das mulheres.

Crianças de mães que consumiram menos de 340 gramas de peixe e frutos do mar por semana apresentaram um aumento de 48% no risco de acabarem no grupo de mais baixo desempenho em termos de inteligência verbal.

Um baixo consumo de peixe e frutos do mar durante a gravidez também foi associado ao aumento do risco de a criança apresentar índices baixos de comportamento e de desenvolvimento motor, de comunicação e sociabilidade.

Porções

Jean Golding, professora emérita de epidemiologia perinatal e pediatria na Universidade de Bristol e chefe do estudo, afirmou que as mulheres devem consumir pelo menos uma ou duas porções de peixe por semana, seguindo uma mistura de diferentes tipos de peixe.

Entre os que devem ser incluídos na dieta durante a gravidez estão os peixes mais gordurosos, a maior fonte de ômega-3, como salmões, sardinhas e cavalas.

"As descobertas que tínhamos feito antes se relacionavam a um período do começo da vida da criança então era possível que o efeito tivesse sido anulado. Mas aqui temos provas convincentes até a idade de sete ou oito anos", disse.

Robert Grimble, professor de nutrição da Universidade de Southampton, afirmou que o ômega-3 é muito importante para o desenvolvimento do cérebro e descartou o risco de problemas de desenvolvimento do feto associados com a intoxicação por mercúrio.

"A idéia de o peixe ser tóxico é antiga, mas este estudo parece afirmar que este é um problema menor comparado com os benefícios conseguidos pelo consumo de peixe", disse.

Pesquisas anteriores do grupo de estudos Avon Longitudinal Study Group mostraram que ácidos como o ômega-3, que estão presentes em peixes, estão associados com a melhora da função cerebral futura das crianças e das habilidades de comunicação.

Mas a equipe apenas analisou os efeitos até a idade de três ou quatro anos.

 
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Cientistas criam novo teste para detectar anomalias em fetos
02 de fevereiro, 2007 | Ciência & Saúde
Benefício financeiro faz alemãs grávidas adiarem partos
27 de dezembro, 2006 | Ciência & Saúde
Ter muitos filhos prejudica saúde dos pais, diz estudo
26 de dezembro, 2006 | Ciência & Saúde
LINKS EXTERNOS
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade