BBCBrasil.com
70 anos 1938-2008
Español
Português para a África
Árabe
Chinês
Russo
Inglês
Outras línguas
 
Atualizado às: 27 de julho, 2007 - 20h54 GMT (17h54 Brasília)
 
Envie por e-mail Versão para impressão
Dedo egípcio de 2,6 mil anos pode ser prótese mais antiga
 
A antiga prótese do dedão
Cientistas vão testar uma réplica em voluntários
Um dedo artificial encontrado no pé de uma antiga múmia egípcia pode ser a mais antiga prótese corporal do mundo, segundo especialistas britânicos.

Uma equipe da Universidade de Manchester espera provar que o artefato de madeira e couro, chamado de "Dedo do Cairo", não apenas parecia com um verdadeiro, mas também ajudou seu dono a caminhar.

Os cientistas vão testar uma réplica em voluntários que não tenham o dedão do pé direito.

Se funcionar, o dedão será mais antigo do que a prótese atualmente considerada como a primeira prótese funcional do mundo, uma perna do ano 300 antes de Cristo.

A Perna Capua Romana, feita de bronze, era mantida no Colégio Real de Cirurgiões em Londres, mas foi destruída durante um bombardeio da Luftwaffe na 2ª Guerra Mundial.

O dedo do Museu Britânico pode ter tido fins estéticos
O dedo do Museu Britânico pode ter tido fins estéticos

"O dedo é datado entre 1.069 e 664 a.C., então se pudermos provar que não tinha apenas função estética, que funcionava, teremos antecipado a medicina prostética em pelo menos 700 anos", disse Jacky Finch, um dos chefes da pesquisa.

Outros pesquisadores na Universidade de Salford também vão realizar testes com uma segunda prótese egípcia, ainda mais antiga, que atualmente está exposta no Museu Britânico.

Esta outra prótese de dedão do pé é datada entre 1.295 e 664 a.C., é feita em cartonagem, uma técnica de fabricação de um tipo de papel machê, fabricado com linho, cola e gesso.

Como o "Dedo do Cairo", este também mostra sinais de uso, sugerindo que foi usado por seu dono durante sua vida e não foi simplesmente colocado no pé durante o processo de mumificação, por razões religiosas ou de ritual.

Mas, diferentemente do artefato do Cairo, este não dobra, sugerindo que seu uso fosse para fins estéticos.

"O 'Dedo do Cairo' é o que tem mais probabilidades de ser a prótese funcional, pois é articulado e mostra sinais de uso. Ainda está preso ao pé da múmia, uma mulher que tinha entre 50 e 60 anos. O local onde ocorreu a amputação está bem cicatrizado", disse Jacky Finch.

O "Dedo do Cairo" está exposto no Museu do Cairo, no Egito.

 
 
HatshepsutMúmia Poderosa
Hatshepsut governou o Egito há 35 séculos.
Veja
 
 
Busto de Nefertiti no museu em BerlimBriga pela Rainha
Alemanha se recusa a devolver busto de Nefertiti ao Egito.
 
 
Casa em Qurna, no EgitoNecrópole de Tebas
Egípcios destroem vila para explorar tumbas de faraós.
 
 
Rio NiloRio Nilo
Exploradores dizem ter encontrado 'verdadeira' nascente.
Veja
 
 
A múmia do faraó Ramsés 1ºArqueologia
Piche pode explicar conservação das múmias do Egito.
 
 
Múmia de gatoEstimada múmia
Egípcios preparavam com cuidado animais para vida pós-morte.
 
 
Crânio da múmia de Nesperennub (© The British Museum/SGI)Tecnologia
Museu Britânico 'desenrola múmia de forma virtual'.
 
 
LINKS EXTERNOS
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
 
Envie por e-mail Versão para impressão
 
Tempo | Sobre a BBC | Expediente | Newsletter
 
BBC Copyright Logo ^^ Início da página
 
  Primeira Página | Ciência & Saúde | Cultura & Entretenimento | Vídeo & Áudio | Fotos | Especial | Interatividade | Aprenda inglês
 
  BBC News >> | BBC Sport >> | BBC Weather >> | BBC World Service >> | BBC Languages >>
 
  Ajuda | Fale com a gente | Notícias em 32 línguas | Privacidade