BBC World Service LogoHOMEPAGE | NEWS | SPORT | WORLD SERVICE
Portuguese Pesquisa na BBC Brasil
 
Primeira Página
Saúde &
Tecnologia
Economia
Cultura
Especial
Fórum
Aprenda inglês
ÁUDIO
Dois minutos pelo mundo
Notícias
Mundo Hoje
De Olho
no Mundo
Programação
Como Sintonizar
SERVIÇOS
Parceiros
Sobre a BBC
Expediente
Página simplificada
Fale com a gente
Empregos
E-manchetes
LÍNGUAS
Espanhol
Português para a África
Árabe
Chinêês
Persa
Hindi
Urdu
BBC News
BBC Sport
BBC Weather
 Você está em: Economia
12 de fevereiro, 2002 - Publicado às 16h09 GMT
Argentina busca apoio financeiro nos Estados Unidos
Lenicov quer mostrar que a Argentina 'merece' ajuda
Lenicov quer mostrar que a Argentina 'merece' ajuda

O ministro argentino da Economia, Jorge Remes Lenicov, está em Washington para tentar mostrar ao FMI e ao governo americano que a Argentina está "fazendo bem os seus deveres" e "merece" uma nova ajuda financeira.

A delegação argentina deve se encontrar com o secretário do Tesouro americano, Paul O'Neill, e com o presidente do FMI (Fundo Monetário Internacional), Horst Köhler.

O FMI e o governo americano já afirmaram que não serão anunciadas medidas concretas durante os dois dias de encontro com representantes argentinos e que as reuniões são apenas um primeiro contato com a nova equipe econômica do país.

Segundo analistas, O'Neill e Köhler não parecem dispostos a autorizar um novo pacote de ajuda à Argentina até que novas reformas sejam promovidas no país.

Preocupação

O Tesouro americano e o FMI manifestaram preocupação com o projeto de Orçamento enviado pelo governo argentino ao Poder Legislativo, com o déficit das províncias e com a política monetária e fiscal do país.

Na quarta-feira, Lenicov vai se encontrar com autoridades do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e com o presidente do Banco Mundial, James Wolfensohn.

A imprensa argentina afirma que o governo do presidente Eduardo Duhalde espera conseguir US$ 25 bilhões em ajuda internacional, mas ninguém se atreve a arriscar quanto os organismos internacionais estariam dispostos a desembolsar.

Em dezembro de 2000, a Argentina recebeu uma ajuda financeira de US$ 40 bilhões e, em agosto de 2001, conseguiu mais US$ 8 bilhões. Em Washington, ninguém esquece que o dinheiro não foi capaz de evitar a crise que provocou a moratória dos pagamentos da dívida externa argentina.

Cavallo


Cavallo terá de explicar medida adotada em dezembro
A Justiça argentina deve ouvir nesta terça-feira depoimento do ex-ministro da Economia, Domingo Cavallo, que será questionado sobre uma medida adotada durante os últimos dias do governo do ex-presidente Fernando de la Rúa.

Cavallo teria ordenado que os bancos ignorassem ordens judiciais a favor de pessoas prejudicadas pelas restrições financeiras impostas em 1º de dezembro de 2001.

O depoimento do ex-ministro será ouvido pelo juiz federal Jorge Ballesteros. Cavallo pode ser acusado de violação dos deveres de um funcionário público e de indução ao crime.

O ex-ministro corre o risco de ficar detido quando se apresentar para depor. Além disso, Cavallo está proibido de deixar o país.
 
   E-MANCHETE
Assine o serviço da BBC Brasil para receber as principais notícias por e-mail.







Notícias relacionadas:
11 de fevereiro, 2002
  Governo argentino 'não interveio' no câmbio
12 de fevereiro, 2002
  Argentinos formam filas gigantes em busca de dólares
11 de fevereiro, 2002
  Argentina se prepara para 'ataque' ao peso
06 de fevereiro, 2002
  Argentina esperava reação 'mais contundente' do FMI
12 de fevereiro, 2002
  Especial: Crise argentina
Links externos:
Governo da Argentina (em espanhol)
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
BBC World Service Logo ^^Volta ao início da página
Primeira Página | Saúde & Tecnologia | Economia | Cultura | Especial
Fórum | Aprenda inglês
---------------------------------------------------------------------------------------------------
Programação | Como Sintonizar
Parceiros | Sobre a BBC