BBC Online Network Fale com a gente
O Mundo Hoje
Especial
BBC e Você
Ivan Lessa
Sobre a BBC
Aprenda inglês

BBC Rádio
Programação
De Olho no Mundo
Como sintonizar
01 de dezembro, 1999 Publicado às 12h00 GMT
Especial Rodada do Milênio

Pessoas têm de ser ouvidas, diz Clinton


O presidente dos EUA diz que a OMC tem de ouvir as manifestações "pacíficas"

O presidente Bill Clinton disse que os protestos de rua contra a Organização Mundial de Comércio (OMC) precisam ser levados em consideração pelos representantes dos 135 países presentes à terceira reunião ministerial da OCM, em Seattle, nos Estados Unidos.

O correspondente da BBC Paulo Sotero, em Seattle: impasse na agricultura

A reunião lança a chamada Rodada do Milênio, ou seja, as normas que vão regular o comércio internacional nos próximos anos.

O presidente norte-americano disse que as manifestações são um sinal de que a OMC precisa ouvir a voz das pessoas comuns nas suas deliberações.

"Se a OMC quer mais apoio, o público tem de ver, ouvir e participar das deliberações. Essa é a única maneira das pessoas saberem que as deliberações são justas", disse Clinton.

"Numa sociedade livre, as pessoas querem ser ouvidas", disse o presidente.

Protestos

A conferência vem sendo marcada por protestos violentos contra a globalização.

Na noite de ontem, mais de 400 pessoas já foram presas nas manifestações.

Pelo segundo dia consecutivo, Seattle está sob estado de emergência e toque de recolher.

Os manifestantes representam uma grande variedade de causas, do impacto do comércio global sobre os direitos trabalhistas e o meio ambiente à oposição à influência internacional dos grandes blocos empresariais.

As autoridades de Seattle afirmaram que o estado de emergência vai continuar até o final da conferência.

Apesar de achar que as pessoas têm de ser ouvidas, o presidente Bill Clinton criticou os atos de violência.

Clinton disse que condena os pequenos grupos que agiram de maneira violenta, mas que apóia os grupos que se manifestaram pacificamente.

Segundo ele, esses grupos representam milhares de pessoas em vários países que desejam ter mais acesso ao mercado global.

Clinton disse também que os participantes da conferência de Seattle deveriam estar preparados para dar respostas a essas milhares de pessoas.

Abertura dos mercados

Os países em desenvolvimento, com o apoio do presidente Bill Clinton, vêm defendendo uma maior abertura dos mercados europeus aos produtos dos países em desenvolvimento.

Essa tese também foi defendida pelo presidente da Organização Mundial de Comércio, Mike Moore.

Mike Moore disse que metade da população mundial sobrevive com menos de dois doláres por dia.

Segundo ele, a redução de barreiras comerciais poderia aumentar em 3 % o volume de negócios no mundo.

Isso representaria uma injeção de um trilhão e 200 bilhões de dólares na economia mundial, beneficiando também os paises pobres.

Até agora as negociações na conferencia de Seattle não têm avançado como se esperava.

Os países da União Européia apresentaram um documento sobre o comércio internacional de produtos agrícolas para constar da rodada do milênio, mas ainda não há consenso.


Nesta seção

07 Dez 99
A anatomia de um fracasso

06 Dez 99
OMC fracassa em Seattle

02 Dez 99
Pessoas têm de ser ouvidas, diz Clinton

01 Dez 99
Seattle decreta estado de emergência

01 Dez 99 | Em imagens
A Batalha de Seattle

30 Nov 99
Protestos marcam encontro da OMC

30 Nov 99 |Análise
Impeçam a destruição do meio ambiente

26 Nov 99 |Análise
Agricultura deve dominar discussões em Seattle

26 Nov 99
Mercosul e União Européia discutem integração

    Para cima    
© BBC World Service
Bush House, Strand, London WC2B 4PH, UK.
Notícias e áudio em 43 línguas