Em imagens: crianças cadeirantes e suas maravilhosas ‘máquinas de Halloween’

Keaton Weimer em seu dragão
Image caption Keaton Weimer em seu dragão

Nos Estados Unidos, o Halloween é um dia muito importante para as crianças, que querem impressionar na hora de pedir "gostosuras ou travessuras".

Por isso em mente, Ryan Weimer e sua esposa Lana resolveram entrar nesse mercado criando fantasias em 3D para crianças cadeirantes.

Cada uma custa entre US$2 mil e US$4 mil, e um time de voluntários passa cerca de 120 horas fazendo as fantasias, que vão de aviões até dragões e partem da imaginação das crianças.

Image caption A nave do Star Wars de Daniel chamou atenção em várias conferências em Portland
Image caption Os quatro estágios de construção da nave, feita por um time de voluntários

Os Weimers, ambos de Oregon (EUA), têm cinco filhos e se inspiraram em três deles, que usam cadeiras de rodas devido à Atrofia Muscular Espinhal (SMA, na sigla em inglês) - uma doença degenerativa que enfraquece os músculos.

"Meu primeiro filho, Keaton, foi diagnosticado com SMA aos nove meses de idade e o diagnóstico mudou para sempre nossa família e o modo como fazemos as coisas. Tivemos que olhar a vida com lentes diferentes das usadas pelo homem ou pela mulher comum", afirma Ryan Weimer.

A primeira fantasia foi feita em 2008, quando Keaton pediu para ser um pirata.

Image caption "Por que usar uma fantasia de pirata se você pode guiar um barco de pirata?", pensou Ryan Weimer

"Eu pensei: Keaton tem essa cadeira de rodas que ele usa para rodar por aí, e todo pirata precisa de um navio, então vamos construir um em torno de sua cadeira. Fiz uns desenhos e tive que começar tudo de novo algumas vezes, mas no final das contas fizemos um navio de pirata bem legal para Keaton navegar", conta o pai.

Ele disse sentir um arrepio só de imaginar o que seu filho pode inventar no próximo Halloween, mas diz que "é sempre divertido, frustrante, desencorajador, ocasionalmente dolorido, e caro".

Já Hunter Power encomendou seu Quinjet, inspirado pelo carro da série Agentes da Shield.

Image caption Hunter Powers dirige seu Quinjet da Agentes de Shield
Image caption Alunos de escola se envolvem na construção do Quinjet

Segundo sua mãe, Ginger, "foi o melhor Halloween de todos os tempos para Hunter". "Nem mesmo a chuva torrencial durante a brincadeira de gostosuras ou travessuras o abalou".

"Hunter não conseguia chegar até a porta das pessoas, mas elas iam até ele, completamente impressionadas com sua fantasia", conta a mãe.

Conforme as fantasias foram ficando famosas, outras famílias começaram a encomendar algo especial para suas crianças. Por isso, o casal criou em 2015 a Magic Wheelchair (Cadeira de Rodas Mágica, em tradução livre), uma organização de caridade.

Image caption Ryan Weimer fez de sua paixão um negócio americano para ajudar o número maior de crianças possível
Image caption Kayla escolheu um castelo de gelo com luzes inspirado no filme Frozen

Os custos para fazer cada fantasia são arrecadados através de doações, mas dependem de um time de voluntários dispostos a construí-las.

A cada ano, as crianças são convidadas a enviar um vídeo curto explicando qual fantasia elas gostariam de ter e por que a merecem.

Somente este ano, 18 times diferentes em 11 Estados americanos ajudaram a construir 25 fantasias, entre elas batmóvel, Cinderella e carro de bombeiros.

A ONG Magic Wheelchair também tem um time de voluntários no Chile e outro no Canadá e quer expandir sua produção globalmente.

Image caption Melinda, de Chicago, sonha em fazer parte do esquadrão de Ghostbusters
Image caption Dragões são uma escolha popular entre as crianças agracidadas pela Magic Wheelchair

As fotos são cortesia da Magic Wheelchair

Tópicos relacionados