O raro momento em que tubarões se reúnem com mergulhadores no Caribe

Mergulhadores alimentam tubarões
Image caption Assim como muitos predadores, tubarões são atraídos por refeições de graça | Foto: Our Blue Planet

O mergulhador e cineasta James Brickell faz um convite que, à primeira vista, parece ser assustador: nadar e alimentar tubarões, entre eles o icônico tubarão-martelo, que pode medir até 6 metros de comprimento e pesar de 3 kg a 500 kg.

Você pode participar dessa aventura assistindo ao vídeo em 360 graus, produzido pelo canal BBC Earth e pela Alucia Productions.

O conteúdo, em inglês e sem legendas, está disponível no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube e faz do projeto digital colaborativo batizado de Nosso Planeta Azul (Our Blue Planet), que tem como objetivo mostrar porque os oceanos são tão especiais.

Munido com uma câmera, Brickell consegue captar os tubarões de perto e até o momento em que os alimenta com peixes.

Não existe apenas uma espécie de tubarão-martelo. Zoólogos já identificam pelo menos oito tipos diferentes de peixe que têm a cabeça achatada.

Brickell diz que é muito raro ver tantos tubarões reunidos assim, como a câmera dele mostra. "Como muitos predadores, eles são atraídos por refeições de graça", afirma.

Alimentar tubarões se transformou em uma atividade popular entre adeptos do mergulho recreativo. Cientistas, por sua vez, distribuem alimentos com um objetivo: coletar informações.

Image caption Pesca e o comércio ameaçam os tubarões | Foto: Our Blue Planet

Nas Bahamas, explica o mergulhador, o dinheiro arrecadado com a atividade é usado para conservação da natureza.

Brickell chama atenção para as etiquetas pregadas nos tubarões-martelo. Elas contêm informações sobre o deslocamento e habitat da espécie, assim como profundidade e temperatura preferidas pelos tubarões.

"Etiquetas como essas são a única forma de estudar esse tipo de animal, que se desloca por longas distâncias. Algumas espécies viajam até 3 mil quilômetros", explica o mergulhador.

Ele diz que a pesca e o comércio ameaçam os tubarões - na sua visão, embora muita gente tenha pavor desses animais, somos muito mais perigosos que eles.

Brickell explica que tubarões matam, em média, seis pessoas por ano. Os homens, em contrapartida, matam milhares de tubarões.

Ele espera ajudar a reduzir esses dados usando técnicas de como a de etiquetar os animais.

Veja os outros vídeos da série: