Bióloga é salva por baleia de um possível ataque de tubarão
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Bióloga é salva por baleia de um possível ataque de tubarão

A bióloga Nan Hauser estava mergulhando no mar das Ilhas Cook, no Pacífico, quando se deparou com uma baleia-jubarte. O animal estava especialmente interessado nela e, por dez minutos, eles tiveram uma interação que pareceu assustadora para a bióloga no primeiro momento.

“Eu estava na água e ela se aproximou de mim. E ela não parava. Eu tentava me afastar, mas, por 10 minutos e meio, ela ficou me colocando sob as suas nadadeiras peitorais... E simplesmente girando ali, comigo no corpo dela”, conta Hauser.

O que a bióloga não sabia é que a uma curta distância de ambas, um tubarão-tigre as espreitava. Essa espécie de predador é uma das mais agressivas entre os tubarões. Hauser só percebeu depois de deixar a água que a baleia, que pesa mais de 25 toneladas, estava, aparentemente, tentando protegê-la de um ataque.

“Eu avistei uma baleia à distância batendo a barbatana. Mas eu não fiz a relação. Não percebi que tinha um tubarão ali”, conta Hauser.

Segundo a bióloga, as baleias-jubarte são “altruístas” e costumam ajudar outros animais em perigo. “Elas têm um comportamento incrível. Elas se apressam para entrar numa situação e salvar um representante de outra espécie”, disse.

“Eu sou, possivelmente, o primeiro ser humano salvo por elas de que se tem registro.”

A bióloga ficou um pouco dolorida após o “contato” com a baleia, mas também muito agradecida ao “herói gigante”. A despedida das duas foi emotiva.

“Eu te amo também. Eu te amo!”, gritou Hauser, ao deixar a água e dar adeus à baleia.

Gostou da reportagem? Então siga a página da BBC Brasil no Facebook.