A trágica história por trás de 'Zombie', sucesso do Cranberries composto por Dolores O'Riordan

Dolores O'Riordan Direito de imagem Getty
Image caption Dolores O'Riordan, líder da banda irlandesa The Cranberries, morreu nesta segunda, aos 46 anos; a causa ainda não foi divulgada

A irlandesa Dolores O'Riordan, que morreu em Londres nesta segunda, aos 46 anos, de causa ainda desconhecida, escreveu uma das canções mais famosas de sua banda, The Cranberries: "Zombie".

A música, do segundo álbum do grupo, No Need to Argue (1994), é um hino de guerra e chegou a ganhar o prêmio de melhor composição do EMA, o MTV Europe Music Award.

"Essa foi a canção mais agressiva que escrevemos", disse Dolores O'Riordan em entrevista ao portal Team Rock, em novembro do ano passado. "Zombie foi algo diferente de tudo que havíamos feito antes."

A música foi inspirada na morte de duas crianças, Tim Parry, de 12 anos, e Johnathan Ball, de 3.

Os dois morreram em 20 de março de 1993 após a explosão de duas bombas colocadas pelo grupo armado IRA (Exército Republicano Irlandês) em lixeiras em uma área comercial da cidade Warrington, na Inglaterra. O ataque terrorista deixou mais de 50 pessoas feridas.

Zombie faz referência à violência que assolou a Irlanda do Norte durante décadas, particularmente as de 70 e 80, pelos combates entre as tropas britânicas e os nacionalistas irlandeses.

O IRA foi a principal organização armada católico-republicana da Irlanda do Norte, que durante décadas utilizou a violência para tentar que esse território deixasse de formar o Reino Unido e se incorporasse à República da Irlanda.

Na música, Dolores O'Riordan canta (aqui em livre adaptação para o português): "Em sua mente, em sua mente, eles estão lutando. Com seus tanques e suas bombas. E suas bombas e suas armas, em sua mente. Em sua mente eles estão chorando".

Outro trecho, que parece uma clara referência ao atentado de 1993, diz: "O coração partido de outra mãe é tomado. Quando a violência causa silêncio, devemos estar enganados".

Parte do sucesso da música se deveu também a seu clipe, que alternava imagens da guerra com cenas de O'Riordan e um grupo de crianças pintados de dourado ao redor de um crucifixo.

O clipe, que tem quase 700 milhões de visualizações no canal do The Cranberries no YouTube, foi dirigido por Samuel Bayer, que também fez o vídeo Smells Like Teen Spirit, um dos principais sucessos do Nirvana.

Direito de imagem PA
Image caption Jonathan Ball, de 3 anos, e Tim Parry, de 12, morreram após o atentado do IRA

Pai de vítima não conhecia homenagem

Colin Parry, pai de Tim Parry, tomou conhecimento de que a música era uma homenagem a seu filho somente após a morte de O'Riordan, nesta segunda.

"Somente ontem eu descobri que o grupo dela, ou ela mesma, compuseram a música em memória do que aconteceu em Warrington", disse ele à BBC.

"Minha mulher chegou do escritório da polícia onde estava trabalhando e me contou. Coloquei a música para tocar em meu laptop, assisti à banda cantando, vi Dolores e escutei a letra", contou. "A letra é, ao mesmo tempo, sublime e muito real."

Segundo ele, o atentado em Warrington, assim como muitos outros que ocorreram em toda a Irlanda e no Reino Unido, "afetou famílias de uma maneira real".

"Ler a letra escrita por uma banda irlandesa de maneira tão convincente foi algo muito, muito intenso", afirmou Parry.

"A morte repentina de uma mulher tão jovem é chocante", comentou ele sobre O'Riordan.

Segundo uma nota divulgada por seus representantes, a cantora estava em Londres para uma curta sessão de gravação.

A polícia britânica informou que foi chamada até um hotel na região central de Londres, onde ela foi declarada morta.

Ainda não há informações sobre a causa da morte.

Tópicos relacionados