Os torcedores que enfrentam verdadeiras jornadas para apoiar suas seleções na Copa
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Os torcedores que enfrentam verdadeiras jornadas para apoiar suas seleções na Copa

Assim como milhares de torcedores de todo o mundo, o casal gaúcho Linho Bergamin e Vanessa Zandoná decidiu ir à Rússia para assistir ao vivo a Copa do Mundo.

Mas eles optaram por um trajeto diferente.

O casal percorreu grande parte dos 12 mil km de Porto Alegre até Rostov-on-Don, uma cidade portuária no sul da Rússia e uma das sedes do Mundial, de jipe.

Para isso, eles modificaram um veículo de 72 anos para poder comer, dormir e tomar banho.

Segundo o casal, é o carro mais velho a dar uma volta pelo mundo.

"Este jipe é de 1946. Muito, muito velho. Passei 5 anos construindo este carro. Há partes de mais de 10 carros diferentes neste veículo", diz Linho.

Em 2016, após se casarem, os dois decidiram abandonar seus empregos e dar uma volta pelo mundo. E optaram por incluir a Rússia na jornada, por ocasião do torneio.

Depois de sair do Brasil, Bergamin e Zandoná percorreram todo o continente americano até os Estados Unidos, de onde viajaram de navio até a África do Sul. Dali subiram até o Oriente Médio. Cruzaram novamente o mar - deste vez o Mediterrâneo - em direção à Itália, onde finalmente iniciaram a viagem pela Europa.

Mas eles não são os únicos aventureiros.

Os islandeses Kristbjorn Kjartansson e Gretar Jonsson foram à Rússia de carro para torcer pela seleção de seu país, que estreou na Copa do Mundo neste ano.

Eles dirigiram um Lada russo especialmente modificado para o trajeto no continente europeu.

"Estamos indo à Rússia para a Copa do Mundo. Decidimos pintar nosso carro com as cores da bandeira da Islândia para torcer por nossa seleção; é uma oportunidade incrível", diz Kjartansson.

Já o português Helder Batista pedalou por 45 dias, arrecadando dinheiro para uma instituição de caridade.

Foram ao todo 4,5 mil km.

"Temos 11 milhões de portugueses atrás daquela grande equipe. Claro que aquela equipe tem um farol, que ilumina, que é o (Cristiano) Ronaldo. Não haja dúvidas", diz.

"Mas, atrás daquela luz, vamos todos. E nós vamos ser campeões do mundo", conclui.