O sírio que deixou a Alemanha e arriscou a vida para voltar para casa
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

O sírio que deixou a Alemanha e arriscou a vida para voltar para casa

Muaz resolveu voltar à Síria anos depois de fugir de lá. Até pouco tempo, ele vivia como refugiado na Alemanha.

“A Europa é um bom lugar, mas eu sentia como se fosse uma prisão. Sim, Idlib está destruída, mas eu vejo esperança aqui”, disse.

Idlib é o último território controlado por rebeldes na Síria. O governo de Bashar al-Assad tenta retomar o controle e, com ajuda da Rússia, vem lançando ataques aéreos à região.

“Quando você mora aqui, você vive preocupado. Você ouve o ruído dos jatos e se pergunta se vão te atingir”, conta Muaz.

“Não há arma no mundo que não tenham usado em Idlib.”

Muaz se mudou para a Europa depois de se ferir num ataque aéreo na Síria. “Um dos meus amigos foi morto. Outro perdeu a perna, e eu me queimei”, relata.

“Eu queria fugir da guerra. Via pessoas se mudando para a Europa e decidi ir também, esperando esquecer o passado.”

Mas ele se sentiu sozinho na Alemanha. “Eu sentia falta da minha alma. Meu corpo estava na Europa e minha alma, na Síria.”

A decisão de voltar para casa foi tomada depois que ele viu um vídeo de um voluntário alemão ajudando refugiados na Grécia.

“Eu me senti culpado. Um europeu deixou família e país para ajudar refugiados sírios. E eu poderia ajudar o meu povo em território sírio.”

Ao voltar, Muaz decidiu atuar como voluntário num serviço de resgate.

“Quando eu tiro uma criança dos escombros e ela me olha agradecida ou sorrindo, como se eu a tivesse salvado da morte, eu me sinto bem”, resume.

Tópicos relacionados