Bohemian Rhapsody: Quem é Mary Austin, grande amor de Freddie Mercury que aparece em filme sobre o Queen

Mary Austin e Freddie Mercury Direito de imagem Getty Images
Image caption Quando se conheceram, Mercury não era um músico de sucesso.

Seu talento inesgotável, sua voz extraordinária, suas roupas, seu bigode, seu estilo exuberante e seus relacionamentos homossexuais são algumas das coisas mais lembradas quando falamos de Freddie Mercury.

Mas poucos recordam ou sabem que o grande amor do artista que os críticos consideram um dos maiores da história do rock foi uma mulher.

Seu nome é Mary Austin, e ela conheceu Mercury antes que ele alcançasse a fama como líder do Queen, a banda cujas histórias e canções voltaram à discussão pública graças à estreia do filmeBohemian Rhapsody.

Direito de imagem Getty Images
Image caption A atriz Lucy Boynton interpreta Mary Austin em Bohemian Rhapsody

Austin também estava ao lado de Mercury (nascido Farrokh Bulsara) até seus últimos dias, quando ele morreu, aos 45 anos de idade, como consequência direta de uma pneumonia bronquial provocada pela aids.

E é a única pessoa que sabe onde estão suas cinzas, escondidas a pedido do artista para evitar a intromissão de fãs.

Compromisso

Filha de pais pobres do sul de Londres - seu pai trabalhava em uma loja de papéis de parede e sua mãe era empregada doméstica -, Austin trabalhava em uma loja de roupas em na cidade quando conheceu Mercury.

Ele tinha 24 anos e ela, 19.

Direito de imagem Getty Images
Image caption A relação esfriou quando a carreira de Mercury começou a crescer.

Mercury acabara de se formar em Arte e Desenho Gráfico e estava dando seus primeiros passos para formar a banda que se tornaria o Queen.

Poucos meses depois desse encontro, Austin e Mercury começaram a viver juntos num apartamento no luxuoso bairro de Kensington e, em 1973, Mercury a pediu em casamento.

Emocionada e surpresa, Austin disse "sim".

Revelação

O casamento, no entanto, não chegou a acontecer.

À medida que crescia sua carreira, Mercury passava cada vez mais tempo fora de casa, e o casal começou a se distanciar.

Austin suspeitava que ele a estivesse traindo com outras mulheres.

Direito de imagem Getty Images
Image caption No início, o casal era inseparável

Mas, durante uma de suas discussões, o cantor confessou que era bissexual.

Se a relação física acabou ali, a amizade e o amor continuaram.

Mercury fez de tudo para ter Austin sempre perto: comprou um apartamento para ela perto de sua casa para que pudessem se ver pela janela e deu a ela um cargo administrativo na banda.

Austin, mais tarde, se casou com outro homem e teve dois filhos (depois, se separou e casou novamente), mas nunca deixou de estar muito envolvida na vida de Mercury.

Ela foi a primeira a quem o cantor disse ter aids.

Herança

O testamento do líder do Queen revela a gratidão e a devoção que ele ainda tinha por seu primeiro amor.

Ele deixou para ela metade de sua fortuna, sua luxuosa mansão de 28 quartos em Kensington e ganhos de direitos autorais futuros (muito mais do que para seu último marido, Jim Hutton, com quem ficou até sua morte, em 24 de novembro de 1991).

Direito de imagem Getty Images
Image caption Austin acompanhou Mercury dos 24 anos de idade até sua morte, aos 45

Hoje com 67 anos, Austin continua morando na mansão onde viveu e morreu o cantor.

Sua casa se tornou um lugar de peregrinação de admiradores.

Segundo disse um vizinho ao tabloide britânico The Sun, Austin sai pouco de casa.

"Nos últimos anos, eu a vi duas vezes. Ela sai em seu Mercedes velho e não fala com ninguém."

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas