Quanto a Netflix paga para manter "Friends" no ar?

Os seis personagens de Friends posam para foto no meio de uma moldura Direito de imagem Getty Images
Image caption A série Friends foi gravada entre 1994 e 2004

As batidinhas de palmas na abertura de "Friends" ou as gargalhadas da audiência que soam nos episódios se somaram recentemente ao suspiro de alívio dos fãs desta série americana em todo o mundo.

Após dias de rumores de que o programa deixaria o catálogo da Netflix no ano que vem, o serviço de streaming publicou, nesta segunda-feira, no Twitter: "Friends continuará disponível para você nos EUA ao longo de 2019".

A origem do frenesi dos fãs nas redes sociais foi a percepção, por alguns usuarios do serviço nos Estados Unidos, de que havia um aviso na Netflix com a data limite para veiculação da série na plataforma. Como há diferenças no conteúdo transmitido pela empresa em países distintos, a Netflix Brasil logo publicou, também na segunda-feira, que a série não sairia do catálogo brasileiro.

"Friends não vai sair, gente. Podem maratonar à vontade", escreveu o braço brasileiro da empresa no Twitter.

Mas a alegria dos fãs desta série, um ícone da década de 90, se transformou em um gasto extra e nada pequeno para o Netflix.

Contrato milionário

Segundo o jornal The New York Times, o serviço de streaming deverá pagar à AT&T, uma gigante da telecomunicação, cerca de US$ 100 milhões (cerca de R$ 390 milhões) para transmitir a série em 2019. A AT&T é proprietária da WarnerMedia, que por sua vez tem a licença de Friends.

A BBC Mundo (serviço em espanhol da BBC) entrou em contato com o Netlix para obter mais informações, mas não teve resposta.

Este acordo representa mais do que o triplo que a Netflix pagou pelo programa no ano passado, um valor em torno de US$ 30 milhões (cerca de R$ 116 milhões).

Direito de imagem Getty Images
Image caption Gigante no setor de telecomunicações, a AT&T é proprietária da WarnerMedia, que por sua vez tem a licença de Friends

Mas, em paralelo a esta subida, está o crescimento do próprio mercado de streaming.

Entre julho e setembro deste ano, ou seja, um período de três meses, o Netflix ganhou sete milhões de novos clientes. Assim, seu total de assinaturas no mundo chega a 137 milhões.

O crescimento recente, um recorde para o terceiro trimestre, foi motivado em parte pela estreia de uma quantidade inédita de programação original - como novas temporadas de Orange is The New Blak e BoJack Horseman;

Mas o contrato milionário por Friends responde também ao aumento da competição entre os atores do setor de reprodução de conteúdo na internet.

Estratégia 'Mata Netflix'

Direito de imagem Getty Images
Image caption Os planos da AT&T para o streaming podem colocar em questão novamente a presença de Friends no Netflix

A Netflix divide o ringue com gigantes como a Amazon e empresas tradicionais do entretenimento que também adentram o mercado de streaming.

A Disney, por exemplo, já anunciou que lançará no final de 2019 o Disney +, uma plataforma destinada às famílias e que terá uma mistura de novas produções e de títulos já consagrados de seu catálogo.

Este tipo de iniciativa, na verdade, tem sido chamada por parte da indústria como uma estratégia "Mata Netflix".

E isso coloca Friends novamente em questão, já que a AT&T planeja lançar seu próprio serviço de transmissão no final de 2019

"Este (Friends) é um conteúdo que definitivamente queremos em nossa plataforma", disse nesta terça-feira em uma reunião com investidores Randall Stephenson, chefe executivo da AT&T.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas