TikTok, o app de sucesso do qual maiores de 35 anos provavelmente nunca ouviram falar

Imagem mostra pessoa segurando smartphone com a logo do TikTok aparecendo na tela e outra pessoa, ao fundo, sendo filmada Direito de imagem Getty Images
Image caption O TikTok atingiu 100 milhões de usuários em apenas um ano, com um bilhão de visualizações diárias

Você viu aquele vídeo que viralizou com um grupo de 'ursinhos de goma' cantando todo empolgado a música "Someone like you", de Adele?

Recebeu, talvez, aquelas imagens estranhas de gente maquiando batatas ou ouviu recentemente alguém cantarolando "Hit or miss"?

Essas três experiências, que aparentemente não têm ligação, dividem uma coisa em comum: são memes do TikTok, uma plataforma de vídeos da qual você provavelmente não terá ouvido falar se tiver mais de 35 anos de idade.

Para quem usa, ele é a nova moda. E está tentando ampliar ainda mais seu alcance.

O TikTok pertence à empresa chinesa de tecnologia Bytedance e foi lançado naquele país em 2016 com o nome de Daouyin ("vibração musical", em tradução livre). Atingiu 100 milhões de usuários em apenas um ano, com um bilhão de visualizações diárias.

No início de 2018, ele era o aplicativo mais baixado na China e na Tailândia e, em outubro, tornou-se o terceiro mais baixado do mundo.

Direito de imagem Reuters/Getty Images
Image caption Ursinhos de goma cantando uma música de Adele em um vídeo no aplicativo acabaram viralizando

Em 15 segundos

No Ocidente, sua evolução tem sido muito positiva: nos Estados Unidos já são 80 milhões de downloads.

Em 2017, a Bytedance comprou o Musical.ly - outro aplicativo de vídeos curtos - e isso permitiu somar outros 30 milhões de usuários nos EUA.

Agora, conta com mais de 500 milhões de usuários ativos em todo o mundo e 40% estão fora da China.

Os vídeos criados com o TikTok geralmente não duram mais de 15 segundos, embora a plataforma também tenha experimentado recentemente clipes mais longos, e alguns usuários tenham permissão para criar vídeos de até 59 segundos.

Recentemente, o site passou a incluir anúncios e a buscar outras formas de monetizar seu conteúdo.

Todos os vídeos se baseiam em temas como música, culinária, dança ou moda.

Antes, a Bytedance focava em notícias, com um aplicativo chamado Toutiao que usava algoritmos para captar as preferências dos usuários. Essa mesma tecnologia é usada para recomendar vídeos aos usuários do TikTok.

O TikTok conta com vários efeitos especiais, como uma ferramenta de edição que faz com que alguém pareça mover objetos com a mente.

"O TikTok aproveitou um modelo bem sucedido de conteúdo gerado pelos usuários ao simplificar e tornar a criação de vídeos de alta qualidade acessível", diz à BBC Paul Barnes, diretor da empresa de análise de aplicativos App Annie.

E apesar de não ser o primeiro aplicativo do tipo - você se lembra do Vine? - ele tem se mostrado muito mais durável.

Direito de imagem Getty Images
Image caption O TikTok oferece aos usuários a posibilidade de aplicar diversos efeitos visuais nos vídeos

"O Vine popularizou os vídeos curtos, mas era muito mais difícil torná-los de alta qualidade. Você tinha que usar seus próprios dispositivos e precisava de um alto nível de experiência técnica, além de talento artístico para fazer algo que as pessoas iriam gostar de ver", diz Barnes.

"Em contraste, os recursos de edição do TikTok e a natureza relativamente simples de sincronização labial tornam a criação de conteúdo audiovisual original mais fácil do que nunca."

O TikTok é frequentemente elogiado como um dos poucos "lugares felizes" na internet: seus videoclipes leves contrastam com o conteúdo mais obscuro do YouTube.

"Isso pode não durar", diz Charlotte McEleny, da revista de marketing e publicidade The Drum.

"Nenhuma plataforma de conteúdo gerada pelo usuário, ou majoritariamente controlada pelo usuário, estará, jamais, completamente limpa (de conteúdo indesejável). O que podemos e devemos aprender com os erros cometidos no passado é que é difícil alcançar o equilíbrio para permitir a criatividade e a auto-expressão e, ao mesmo tempo, evitar conteúdo impróprio."

Goste você ou não do aplicativo, pode ser que logo, logo seja difícil evitá-lo, em parte porque, quando um meme ou vídeo aparece na Web, a marca é promovida junto a uma marca d'água como um convite para visitar o site, uma forma de marketing que está fazendo seu nome se destacar.

E o fato de se concentrar em apenas uma coisa - vídeos criados por usuários - pode fazer com que a Bytedance se destaque frente a rivais asiáticos maiores como Tencent e Baidu, especialmente entre o público ocidental.

Direito de imagem Getty Images
Image caption O número de usuários do aplicativo cresce também no Ocidente

O TikTok ganhou muita visibilidade nos Estados Unidos após ser promovido no programa de televisão de Jimmy Fallon, The Tonight Show.

E ele continua crescendo e agregando novos usuários em vários países.

Quem usa o TikTok?

Sophie tem 12 anos (portanto, em tese, não tem idade suficiente para usar a plataforma, oficialmente para pessoas com mais de 13). Ela, como muitos jovens da sua idade, conheceu o TikTok através do Musical.ly e o usa com a aprovação dos pais.

Ela disse que o usava mais quando era Musical.ly, mas que gosta da natureza efêmera do conteúdo.

Image caption Muito popular entre os pré-adolescentes, o Musical.ly ajudou a atrair essa geração para o TikTok

"Você pode tirar um minuto (para ver o conteúdo) e, como os vídeos duram 15 segundos, dá para ver muita coisa em pouco tempo", diz Sophie.

Munavar Zeb tem 32 anos e vive na Índia. Ele usa o TikTok há mais de um ano para postar vídeos que faz no caminho para o trabalho.

"É a ideia fundamental de que alguém pode atuar, dançar, cantar e fazer o que gosta na frente de uma câmera, publicar isso para o mundo ver e até se tornar famoso", disse ele à BBC.

"Eu não sei o que todo mundo acha, mas fico feliz em ver que meu vídeo recebe 'curtidas'."

Direito de imagem Laurie Elle
Image caption Laurie Elle está entre os usuários do aplicativo: simplicidade da plataforma atrai

Laurie Elle tem 20 anos e é de Manchester, no Reino Unido. Tem mais de 2,5 milhões de seguidores no TikTok e recebeu convites para participar de alguns eventos offline. Ela é dançarina e geralmente compartilha vídeos em que dança.

O aplicativo é muito fácil de usar, ela explica. "Você pode gravar vídeos diretamente do seu celular e adicionar efeitos sem precisar de ferramentas profissionais."

"As tendências do aplicativo são muito populares, divertidas e fáceis de aderir. Elas oferecem a todo mundo a oportunidade de compartilhar seu próprio conteúdo e de ser criativo", acrescenta.

Laurie também disse à BBC que, embora o aplicativo não tenha "conteúdo negativo", é o site que recebe mais comentários e mensagens negativas. O TikTok não oferece a opção de desabilitar os comentários.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Notícias relacionadas