Novo bebê real se chamará Archie, anunciam Harry e Meghan; veja fotos

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo
'Ele tem sido um sonho': veja as primeiras imagens de Harry e Meghan com bebê real

O príncipe Harry e sua mulher, a duquesa Meghan Markle, apresentaram o filho ao público nesta quarta-feira (8/5).

O nome do bebê foi divulgado horas depois: Archie Harrison Mountbatten-Windsor.

O anúncio aconteceu logo depois que a rainha Elizabeth e o príncipe Philip conheceram o bisneto.

Entre o nomes mais cotados nas casas de apostas no Reino Unido estavam Spencer, James, Alexander, Arthur e Philip.

Em uma rápida aparição, Meghan afirmou que o bebê é muito calmo. "Ele tem sido um sonho", disse a mãe. O casal então riu, e o príncipe brincou: "Não sei a quem ele puxou nisso".

Ao falar sobre os primeiros dias do casal como pais, Meghan afirmou: "É mágico, é incrível. Eu tenho os dois melhores rapazes do mundo, então estou muito feliz."

O bebê nasceu por volta de 5h30 do dia 6 de maio. A notícia do nascimento foi dada pelo Instagram da Casa de Sussex, e Harry se disse "eufórico" com a chegada do filho em uma breve aparição para jornalistas.

Direito de imagem Reuters
Image caption Bebê é o primeiro filho do casal, que se uniu no ano passado

É a primeira criança birracial da atual família real britânica – Meghan tem raízes negras por parte de mãe.

Antes do nascimento, circulavam informações de que Meghan não pretendia dar à luz no mesmo hospital, porque queria mais privacidade. Não houve uma confirmação oficial sobre o local onde o parto se deu, mas tudo indica de que foi nova residência do casal, a Frogmore Cottage, em Windsor, nos arredores de Londres.

Um comunicado da família real apenas informou que "a mãe da duquesa, Doria Ragland, está com suas altezas em Frogmore Cottage". Ela não seria o primeiro membro da realeza a fazê-lo: a própria rainha Elizabeth deu à luz seus quatro filhos em casa.

Direito de imagem Reuters
Image caption Segundo Meghan, o bebê é 'muito calmo'

O bebê será um príncipe?

Por enquanto, pelo menos, não. A expectativa até o momento é de que o menino seja chamado de Conde de Dumbarton, a não ser que a rainha Elizabeth 2ª interceda.

Em 2012, a rainha determinou que todos os filhos de seu neto William, irmão mais velho de Harry, teriam o título de príncipe e princesa – ele e a duquesa Kate Middleton são pais de George, Charlotte e Louis.

Mas, antes disso, apenas o filho mais velho do filho mais velho do príncipe de Gales (ficou confuso? Essas pessoas seriam o próprio William, filho de Charles, e seu filho mais velho, George) teria direito a ser chamado assim, por causa de um decreto assinado em 1917 pelo então rei George 5º para limitar a concessão de títulos na família real.

Direito de imagem AFP
Image caption Casal apresentou filho em salão do Castelo de Windsor

Harry e Meghan podem rejeitar a concessão de um título para seu filho?

Sim, e há precedentes para isso.

Um exemplo é Anne, segunda filha da rainha Elizabeth, que recebeu e recusou a oferta de títulos reais para seus filhos, Peter e Zara.

O objetivo é que as crianças tivessem uma vida comum, apesar de serem netos da rainha.

"Meus pais não nos deram títulos, então conseguimos ter uma vida um pouco mais normal", disse Zara em uma entrevista ao jornal The Times. "Assim que você tem um título, é muito difícil se livrar dele."

Direito de imagem AFP
Image caption A criança nasceu no dia 6 de maio e os pais optaram por ter dois dias de privacidade antes de apresentá-la ao público

É possível que Harry e Meghan, que não têm tido receio de quebrar protocolos, sigam esse caminho

O bebê será um cidadão americano?

Sim. Como Meghan ainda é uma cidadã americana, seu filho também o é.

Isso porque qualquer americano que tiver morado cinco anos nos EUA automaticamente passa a cidadania para seus filhos.

Mas, como seu bebê nasceu fora dos EUA, Meghan terá de registrar o nascimento na embaixada americana em Londres.

Assim, ele terá dupla cidadania - britânica e americana.

Acredita-se que Meghan eventualmente pedirá uma cidadania britânica para si própria, mas esse processo exige tempo: ela precisa residir no Reino Unido por ao menos cinco anos.

Quando isso acontecer, ela pode optar por renunciar à cidadania americana, mas seu filho teria de esperar até os 16 anos caso decida fazê-lo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Notícias relacionadas