Vila francesa oferece prêmio em dinheiro a quem decifrar inscrição misteriosa em rocha

inscrição na rocha Direito de imagem AFP
Image caption Especialistas franceses ficaram intrigados com esta inscrição misteriosa em uma rocha na região da Bretanha

Um vilarejo no oeste da França está oferecendo um prêmio de 2 mil euros (cerca de R$ 8,9 mil) para quem ajudar a decifrar uma inscrição de cerca de 230 anos gravada em uma rocha.

Até hoje ninguém foi capaz de entender o significado das 20 linhas escritas na pedra, descoberta há alguns anos em uma praia remota.

A rocha de um metro de altura está localizada em uma enseada acessível apenas na maré baixa, próxima ao vilarejo de Plougastel-Daoulas, na Bretanha.

Há letras do alfabeto latino, sendo algumas invertidas ou de cabeça para baixo. E também algumas que remetem às línguas escandinavas, como Ø.

Direito de imagem AFP
Image caption Michel Paugam, autoridade local, acha que a inscrição pode estar na língua bretã antiga

Dois anos podem ser identificados - 1786 e 1787 -, o que sugere que a inscrição data de poucos anos antes da Revolução Francesa. Há ainda a imagem de um barco à vela e um leme, além de um sagrado coração - que é representado por um coração com uma cruz em cima.

Mas a escrita desafiou todas as tentativas de interpretação dos acadêmicos locais.

Alguns acham que pode estar na língua bretã antiga ou basca, e que a pessoa que escreveu poderia ser apenas semialfabetizada.

As letras poderiam estar relacionadas com o som das palavras ouvidas pelo autor.

Em uma parte, é possível ler: "ROC AR B ... DRE AR GRIO EVELOH AR VIRIONES BAOAVEL".

Em outra, está escrito: "OBBIIE: BRISBVILAR ... FROIK ... AL".

Uma teoria é que a inscrição estaria ligada à construção de defesas navais perto desta localidade. Um forte e postos de artilharia - cujas ruínas ainda podem ser observadas - foram erguidos nesta região na década de 1780 para proteger a Baía de Brest. Até 1783, a França e a Inglaterra estavam em guerra.

"Nós perguntamos a historiadores e arqueólogos da região, mas ninguém foi capaz de descobrir a história por trás da rocha", diz Dominique Cap, prefeito de Plougastel.

"Então pensamos que talvez exista alguém no mundo com o tipo de conhecimento especializado de que precisamos. Em vez de permanecer na ignorância, resolvemos lançar uma competição."

O apelo público por ajuda é chamado de "O Mistério de Champollion em Plougastel-Daoulas" - em homenagem a Jean-François Champollion, o linguista que decifrou os antigos hieróglifos egípcios da Pedra de Rosetta no século 19.

Apaixonados por linguística e arqueologia são convidados a se registrar na prefeitura - na sequência, receberão fotografias da inscrição. Centenas de pessoas já manifestaram interesse.

Quando as inscrições terminarem, em novembro, um painel vai escolher a interpretação mais plausível do mistério.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas