Como cegos apreciam os mistérios da Mona Lisa e outras obras-primas
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Como cegos apreciam os mistérios da Mona Lisa e outras obras-primas

Parar em frente a um quadro, admirá-lo por alguns minutos e ver todos os detalhes da pintura. É assim que você imagina a experiência em um museu?

Bom, para pessoas cegas, isso é bem diferente.

“Normalmente, num museu de arte, você terá coisas como pinturas penduradas na parede ou peças atrás de vidros. Para uma pessoa cega andando por esse museu, ela não pode acessar essa arte. Não tem nada para descrevê-la, não tem braile, audiodescrição, não tem nada”, ilustra Lou Ann Blake, da Federação Nacional de Cegos dos EUA.

Mas a empresa 3D Photoworks está mudando essa realidade para algumas pessoas. Ela está criando

uma representação tátil de alguns quadros famosos, como a Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, o Retrato de Dr. Gachet, de Van Gogh, e Washington Atravessando o Delaware, de Emanuel Leutze.

Isso permite que essas pessoas interajam e apreciem a obra de arte, bem diferente de um museu normal.

“É assim que uma pessoa cega experimenta as coisas, através do toque. Mesmo que eu tenha perdido a visão, ainda amo a arte. Isso não muda. Mas o tipo de arte que estou buscando, isso muda. Agora busco arte tátil, porque consigo apreciá-la”, conta Lou Ann.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Tópicos relacionados