Como se proteger dos riscos de segurança das Smart TVs, segundo o FBI

Controle remoto de uma Smart TV Direito de imagem Getty Images
Image caption As vantagens das Smart TVs podem se tornar desvantagens

Com o aumento de dispositivos conectados à rede, também aumenta o risco à exposição a ataques cibernéticos que podem violar nossa privacidade.

E as Smart TVs, cuja chegada no mercado provocou uma revolução na forma de consumir a televisão, não são uma exceção. Essas telas se conectam à internet e promovem o acesso a aplicativos e serviços de vídeo em streaming como se fosse um smartphone. É até possível fazer compras por meio de distintos sites de comércio eletrônico na TV.

Também há modelos que permitem o reconhecimento de voz e que têm câmeras instaladas que facilitam, por exemplo, as chamadas de vídeo entre usuários.

Mas em toda essa série de vantagens residem os riscos que devemos levar em conta, segundo especialistas.

Perigos

De acordo com Norton, uma empresa de cibersegurança notória pelo seu antivírus, as Smart TVs, ao estarem conectadas à internet, "têm a capacidade de rastrear o que vemos e buscamos". "Com essa informação, podem programar a publicidade que melhor se ajuste a seu estilo de vida."

Direito de imagem Getty Images
Image caption As câmeras integradas às Smart TVs podem ser vantajosas para os hackers

Quando se trata de um possível ciberataque, no entanto, a publicidade personalizada quase que passa para um segundo plano.

"As câmeras dos televisores inteligentes podem ser hackeadas e usadas para espionar, e os softwares maliciosos podem se mover de dispositivo em dispositivo. Um hacker pode facilmente usar a câmera da televisão para verificar se você guarda objetos valiosos em casa e saber em que momentos você sai de férias", segundo a Norton.

O FBI (Federal Bureau of Investigation, a polícia federal dos Estados Unidos) também faz advertências sobre esses perigos.

"Os hackers podem assumir o controle de sua televisão desprotegida. No melhor dos casos, podem mudar seus canais, brincar com o volume ou mostrar vídeos inadequados para seus filhos. E, no pior cenário, podem ligar a câmera e o microfone da televisão no seu quarto e espiar silenciosamente", diz um informe publicado no dia 26 de novembro.

O que o FBI recomenda

Antes de comprar qualquer Smart TV, o FBI recomenda, primeiramente, saber tudo que o aparelho inclui.

Direito de imagem Getty Images
Image caption O FBI oferece conselhos úteis antes da compra de um televisor inteligente

É preciso verificar se a SmartTV vem com câmera ou microfone, por exemplo, e como controlar as duas funções.

Da mesma forma, o FBI sugere mudar todas as senhas e aprender a desativar o sistema de reconhecimento de voz, as câmeras e todo o tipo de coleta de dados possível.

"Se não é possível barrar a coleta de dados, pense se vale a pena correr o risco de comprar esse modelo específico ou usar esses serviços. E se não puder desligar a câmera mas ainda assim quiser fazê-lo, cole uma fita preta sobre a lente da câmera", diz o FBI.

O serviço americano também diz que as condições de privacidade devem ser revisadas, assim como o tratamento dos dados. É preciso verificar também se o fabricante lança atualizações de segurança para atualizar o dispositivo sistematicamente.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Notícias relacionadas