Capacete salva vida de policial em tiroteio em boate gay de Orlando

Polícia de Orlando divulgou foto de objeto perfurado no Twitter Direito de imagem Twitter
Image caption Polícia de Orlando divulgou foto de objeto perfurado no Twitter

O uso de um capacete salvou a vida de um policial que confrontou o atirador que abriu fogo em uma boate gay de Orlando, no Estado americano da Flórida, na madrugada deste domingo.

A polícia de Orlando divulgou a foto do objeto perfurado no Twitter.

O policial se feriu, mas não corre risco de morte.

Na madrugada deste domingo, um homem armado abriu fogo na boate gay Pulse, uma das principais casas noturnas voltadas para o público LGBT na cidade, próximo do horário do fechamento.

O suspeito do ataque foi identificado pela polícia como o americano Omar Mateen, filho de pais afegãos.

Autoridades classificaram o incidente como um "ato terrorista". O FBI, a polícia federal americana, ainda investiga essa hispótese.

O atirador foi morto. Segundo a polícia, 50 pessoas morreram, no pior tiroteio em massa da história recente dos Estados Unidos.

O saldo de mortos ainda pode subir, com pelo menos 53 feridos levados ao hospital, muitos deles em estado grave.

Direito de imagem Omar Mateen
Image caption Suspeito do ataque foi identificado pela polícia como o americano Omar Mateen, filho de pais afegãos

'Fim de semana trágico'

O incidente ocorre menos de 48 horas depois de outro homem armado matar a cantora Christina Grimmie, de 22 anos, após um show na cidade.

Ex-participante da edição americana do programa de TV The Voice, ela estava dando autógrafos a fãs quando foi baleada por Kevin James Loibl, de 26 anos. O irmão de Christina chegou a lutar com Loibl, mas ele se matou em seguida.

Ainda não se sabe qual teria sido a motivação do atirador.

Tópicos relacionados