Com população de maioria negra, Bahamas alerta cidadãos em viagem aos Estados Unidos

Mortes de Philando Castile e Alton Sterling desencadearam protestos e confrontos com a polícia Direito de imagem Reprodução/Facebook
Image caption Mortes de Philando Castile e Alton Sterling desencadearam protestos e confrontos com a polícia

Em meio a episódios recentes de tensão racial, o governo do arquipelágo de Bahamas recomendou a cidadãos do país em viagem aos Estados Unidos, especialmente homens mais jovens, a evitar protestos e multidões.

O alerta ocorre depois de dois homens negros terem sido mortos pela polícia americana nos Estados de Minnesota e Louisiana, e cinco policiais terem sido mortos a tiros por um franco-atirador na cidade de Dallas.

Cerca de 90% da população das Bahamas é negra, segundo a CIA, a agência de inteligência dos EUA.

Ex-colônia britânica, o pequeno arquipélago comemora sua independência neste domingo, 10 de julho. Muitos bahamenses aproveitam o feriado para viajar. Os Estados Unidos são um dos destinos preferidos.

A orientação, emitida pelo Ministério das Relações Exteriores, recomenda a cidadãos do país "exercerem cautela apropriada", especialmente em cidades afetadas pelas "tensões...envolvendo as mortes de jovens homens negros pela polícia".

"Em particular, pedimos que os mais jovens exerçam extrema cautela em cidades afetadas nessas interações com a polícia. Não confrontem as autoridades e cooperem", diz a recomendação.

"Não se envolvam em protestos ou em outros tipos de manifestações sob quaisquer circunstâncias e evitem multidões".

Os Estados Unidos emitem com frequência recomendações a americanos em viagem ao exterior, mas é raro que outras nações façam o mesmo em relação ao país.

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas