Obama chama 'ataque' a policiais de 'covarde'; o que se sabe até agora

AP Direito de imagem AP
Image caption Três policiais foram mortos e três ficaram feridos

Em pouco mais de uma semana, os Estados Unidos presenciaram mais um tiroteio que teve policiais como alvo. Depois de cinco policiais terem sido mortos por franco-atiradores em Dallas no dia 8 de julho, neste domingo três oficiais morreram após tiroteio em Baton Rouge, capital da Louisiana.

Os tiros aconteceram de manhã e um dos suspeitos de ter atirado nos policiais também foi morto. Outros três oficiais ficaram feridos.

O suspeito de ter iniciado o tiroteio contra os agentes foi identificado pela mídia americana como Gavin Long, de 29 anos, de Kansas City, Missouri. A polícia, no entanto, ainda não confirmou essa informação.

This has not been officially confirmed by police.

O presidente Barack Obama condenou o que chamou de "ataque covarde" contra policiais em serviço.

Os moradores da região foram alertados para ficar dentro de casa após o incidente.

A mesma cidade havia sido palco do caso polêmico em que Alton Sterling, um homem negro que vendia CDs em frente a uma loja de conveniência, foi morto por policiais que alegaram que ele estava armado.

Veja o que se sabe até agora sobre o tiroteio em Baton Rouge.

O que aconteceu?

Ainda não há detalhes sobre o que exatamente aconteceu no momento da troca de tiros, mas policiais locais relatam que três agentes foram mortos a tiros e outros três ficaram feridos depois de um tiroteio que aconteceu perto da sede da polícia na cidade de Baton Rouge.

Direito de imagem Reuters
Image caption Alton Sterling foi morto pela polícia em Baton Rouge

A porta-voz da polícia falou ao canal de TV WAFB TV que o incidente aconteceu perto de 9h da manhã, horário local.

Algumas imagens feitas por celulares mostram carros de polícia chegando na intersecção de duas ruas. Depois disso, foi possível ouvir vários tiros.

O morador da região James Ikerd disse que acordou com o barulho da troca de tiros. "Nós vimos carros de policiais correndo para lá".

"Eles estão dizendo a todo mundo para ficar longe daquela área, eles bloquearam completamente a entrada do bairro onde eu moro", contou.

Quem foram os autores dos tiros nos policiais?

Ainda não se sabe quem atirou, mas segundo a polícia local, um dos suspeitos foi morto na troca de tiros.

Algumas testemunhas disseram que viram um homem atirando indiscriminadamente.

Outra alegou ter visto um dos autores dos tiros usando uma máscara preta e roupas com estilo militar.

Qual é o contexto do tiroteio?

O incidente acontece em meio a uma série de tensões no país entre a comunidade negra e a polícia.

Na mesma cidade, Alto Sterling foi morto pela polícia em um episódio que gerou polêmica e protestos - os policiais alegavam que ele estava armado, mas o homem teria levado vários tiros mesmo imobilizado pelos oficiais.

Depois de Sterling, outro caso gerou polêmica - a morte de Philando Castile em Minnesota com quatro tiros no braço ganhou notoriedade porque sua namorada fez uma transmissão ao vivo no Facebook para mostrar o homem baleado por um policial após o casal ter sido parado pelos agentes por causa de um farol queimado no carro.

Direito de imagem Reuters
Image caption Obama condenou ataque a policiais e disse que autores foram 'covardes'

Desde então, protestos organizados pelo movimento Black Lives Matter aconteceram em diversos Estados do país.

Além disso, na mesma semana, cinco policiais foram mortos em Gallas por franco-atiradores - um deles, que foi morto após o tiroteio, chegou a dizer, segundo os policiais, que "queria matar agentes brancos".

Repercussão

O presidente Barack Obama não deu entrevista coletiva sobre o incidente deste domingo, mas divulgou uma nota condenando o que chamou de "ataque covarde contra policiais".

"Eu condeno, no sentido mais forte da palavra, o ataque contra a aplicação da lei em Baton Rouge. Pela segunda vez em 2 semanas, policiais que colocam sua vida em risco por nós todos os dias estavam trabalhando quando foram mortos em um ataque covarde", afirmou o presidente.

"Não sabemos ainda o motivo desse ataque, mas quero deixar algo claro aqui: nao existe justificativa para violência desse tipo. Nenhuma. Esses ataques são de covardes que não representam ninguém."

O candidato republicano à Presidência, Donald Trump, também se manifestou sobre o caso por meio de seu Twitter.

"Estamos tentando combater o Estado Islâmico e nosso próprio povo está matando nossa polícia. Nosso país está dividido e fora de controle. O mundo está vendo isso."

Já a candidata dos Democratas a suceder Barack Obama no cargo de presidente disse que os americanos não podem "virar as costas um para o outro" e que precisam estar juntos para "combater a violência e fortalecer nossas comunidades."

"O ataque devastador de hoje aos policiais em Baton Rouge é um ataque contra todos nós. Não há qualquer justificativa para a violência, para o ódio, para ataques a homens e mulheres que colocam suas vidas em risco todos os dias no serviço de nossas famílias e comunidades. Não podemos virar as costas uns para os outros. Não podemos ser indiferentes uns com os outros", afirmou.

O movimento "Black Lives Matter" chegou a se manifestar sobre o ocorrido neste domingo. "O movimento começou como um chamado para acabar com a violência. Esse chamado continua", disse o ativista Deray Mckesson ao jornal New York Times.