Mal-estar e diagnóstico de pneumonia alimentam dúvidas sobre saúde de Hillary Clinton

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo
Video mostra Hillary Clinton amparada após passar mal em cerimônia do 11/9

Diagnosticada com pneumonia na sexta-feira, a campanha de Hillary divulgou o estado de saúde da candidata somente depois que ela passou mal e saiu às pressas do evento em Nova York.

A menos de dois meses da eleição presidencial americana, uma série de acontecimentos colocou a saúde da candidata do Partido Democrata, Hillary Clinton, no centro dos holofotes.

E a questão é se a discussão poderia impactar a corrida eleitoral à Casa Branca.

Clinton passou mal no domingo, revelou que foi diagnosticada com pneumonia e cancelou visita de dois dias para a Califórnia, onde planejava levantar fundos para a campanha. O descanso forçado foi uma recomendação da médica Lisa Bardock.

Durante a cerimônia em homenagem às vítimas do 11 de setembro, em Nova York, Hillary foi filmada saindo antes do fim do evento. No vídeo, ela parece tropeçar, mas é amparada por assessores até uma van. A candidata foi levada para o apartamento da filha Chelsea.

O episódio alimenta agora um debate aberto sobre a condição da candidata. Há semanas, diferentes blogs e veículos de comunicação próximos ao Partido Republicano, principal adversário dos democratas, vem alegando que ela enfrenta problemas de saúde.

Direito de imagem AP
Image caption Depois de passar mal e ser medicada, Hillary sai da casa da filha, em Nova York, e cumprimenta fotógrafos: "É um dia bonito em Nova York"

Munição para republicanos

A suposta fragilidade da ex-secretária de Estado tem sido explorada também pelo candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump.

Em meados de agosto, Trump disse que Clinton não tem "força física e mental para lutar contra o (grupo autointitulado) Estado Islâmico e muitos adversários que enfrentamos".

De acordo a médica, após o diagnóstico de pneumonia, Hillary começou o tratamento com antibióticos e foi aconselhada a descansar e mudar a agenda.

"Durante as atividades desta manhã, ela sentiu ondas de calor e ficou desidratada. Acabo de examiná-la. Ela já está hidratada e se recupera bem", disse a médica.

Ao deixar a pé a casa da filha, na tarde de domingo, Hillary sorriu e acenou para repórteres e fotógrafos que a aguardavam na porta do prédio. "Eu me sinto ótima. É um dia bonito em Nova York", disse.

Dúvidas

A campanha da candidata democrata acusou seus adversários de promover uma "conspiração enlouquecida sobre o estado de saúde" da candidata.

No entanto, o fato de o diagnóstico de pneumonia ter sido divulgado somente dois dias depois de feito pela médica elevou as dúvidas sobre a saúde dela.

Além disso, republicanos acusam a campanha democrata de falta de transparência.

No mês passado, a mesma médica que atendeu Hillary neste domingo afirmou que a candidata apresentava "saúde excelente" e estava "em condições de ocupar o cargo de presidente dos Estados Unidos".

Direito de imagem Reuters
Image caption Hillary ficou pouco mais de uma hora na cerimônia do 11 de setembro, antes passar mal e deixar o evento

De acordo com a médica, Hillary conseguiu se recuperar totalmente da cirurgia a que foi submetida em 2012 por conta de um coágulo sanguínea.

A saúde do candidato Donald Trump, de 70 anos, também não está totalmente livre de preocupações. Pouco se sabe sobre o seu estado físico: a única informação sobre a saúde do republicano vem de uma carta escrita por um médico durante a corrida eleitoral.

O episódio de domingo pode simplesmente manter Clinton fora da campanha por alguns dias e ser superado. No entanto, pode também fazer com que pessoas que antes ignoravam os rumores sobre a saúde da candidata passem a observar com mais atenção as atividades dela.

Notícias relacionadas