Como Donald Trump perdeu US$ 800 milhões em um ano

Trump e sua mulher, Melina, com filhos e enteados Direito de imagem Getty Images
Image caption Trump e sua atual mulher, Melina, posam com filhos e enteados durante a campanha

"Parte da minha beleza é que sou muito rico", disse Donald Trump certa vez.

Mas de acordo com a revista de economia e negócios americana Forbes, o bilionário está bem mais pobre do que há um ano.

Trump teria perdido US$ 800 milhões (R$ 2,6 bilhões) desde o ano passado e agora teria uma fortuna de "apenas" US$ 3,7 bilhões (R$ 12 bilhões).

Segundo a Forbes, a sangria de dinheiro se deve especialmente à desvalorização imobiliária em Nova York. O candidato republicano à Presidência dos EUA nas eleições de novembro - autor de um livro chamado Toque de Midas - tem pregado em discursos de campanha a "necessidade de os americanos terem um negociador" na Casa Branca.

"Eu tenho uma imensa renda. É hora de o país ser governado por alguém que tem uma vaga ideia de como lidar com dinheiro", afirmou Trump durante o debate presidencial na última segunda-feira.

Direito de imagem Getty Images
Image caption Um hotel de Trump foi inaugurado neste ano nas proximidades da Casa Branca

Como Trump perdeu tanto dinheiro?

A Forbes, que há 30 anos analisa a fortuna de Trump e de outras das figuras mais ricas do mundo, atribui o prejuízo do bilionário principalmente à queda dos preços de imóveis em Nova York.

A revista levantou informações sobre 28 edifícios de Trump e descobriu que 18 depreciaram, incluindo a Trump Tower, o icônico prédio de apartamentos de luxo na Quinta Avenida.

Mas sete imóveis dele, incluindo um em San Francisco, aumentaram de valor.

Direito de imagem Getty Images
Image caption Trump viu depreciações em 18 de seus 28 imóveis em NY

Quanto realmente vale Trump?

Essa é a grande questão. Quando Trump entregou sua declaração de bens à Comissão Eleitoral, no início do ano, seus assessores disseram que ele tinha mais de US$ 10 bilhões (R$ 32 bilhões).

Mas a Forbes diz que ele vale US$ 3,7 bilhões, a agência de notícias Bloomberg o avalia em US$ 3 bilhões e a revista Fortune diz que Trump acumula US$ 3,9 bilhões.

Um motivo para essa discrepância é que Trump conta o valor de sua "marca", que ele mesmo estima em US$ 3,3 bilhões. O empresário já foi acusado de exagerar sua renda ao somar a ela a receita de seus negócios.

Direito de imagem Getty Images
Image caption Trump com a então mulher, Ivana, em 1989

A declaração de renda pode solucionar mistério?

Trump, ao contrário de sua rival na corrida pela Casa Branca, a democrata Hillary Clinton, se recusou a tornar pública sua declaração de renda. Isso alimentou a especulação de que sua conta bancária talvez não seja tão grande quanto ele diz, ou mesmo que o empresário esteja pagando menos imposto do que deveria.

No debate de segunda-feira, Clinton insinuou que a declaração de renda poderia revelar "algo importante, ou mesmo terrível, que ele esteja tentando esconder".

No domingo, o jornal The New York Times publicou uma reportagem afirmando que o republicano pode ter ficado sem pagar impostos federais legalmente por 18 anos, depois de ter declarado um prejuízo de US$ 915 milhões (quase R$ 3 bilhões) em sua declaração de 1995.

A informação, segundo o jornal, teria vindo de documentos enviados pelo empresário à Receita americana. A campanha de Trump disse que os documentos foram obtidos de forma "ilegal", mas que provavam a esperteza do empresário no campo dos negócios.

Direito de imagem Getty Images
Image caption Trump diz financiar campanha com próprio dinheiro

Trump está financiando a própria campanha?

Em meio à confusão sobre quão rico ele é, Trump se vangloria de financiar sua campanha à Presidência sem precisar se amarrar aos interesses políticos dos seus doadores - ao contrario de seus rivais. Mas a verdade é um pouco diferente.

Ele já investiu US$ 50 milhões (R$ 162 milhões) de seu próprio dinheiro até agora, mas recuperou parte disso graças, por exemplo, ao expediente de colocar seu escritório de campanha na Trump Tower e cobrar aluguel.

Por outro lado, declarações polêmicas sobre imigrantes mexicanos, em especial a promessa de construir um muro na fronteira entre os EUA e o México para coibir a imigração ilegal, já lhe custaram US$ 100 milhões (R$ 324 milhões), segundo a Forbes.

O cálculo diz respeito a compromissos cancelados com empresas como as redes de TV NBC e Univisión, além das lojas de departamento Macy's, entre outros.

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas