Conselho do Oscar expulsa o produtor Harvey Weinstein após acusações de assédio

O produtor Harvey Weinstein Direito de imagem PA
Image caption Weinstein foi acusado de assédio por dezenas de mulheres

Os organizadores do Oscar votaram, neste sábado, pela expulsão do produtor Harvey Weinstein de seus quadros. O produtor foi acusado de assédio sexual por mais de 20 mulheres.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas afirmou que seu conselho "votou bastante além da necessária maioria de dois terços" para expulsá-lo, em um encontro emergencial. Seus membros incluem figuras de Hollywood como Tom Hanks e Whoopi Goldberg.

A expulsão significa que Weinstein não poderá mais votar por indicados e vencedores ao Oscar. Seus filmes já receberam mais de 300 indicações para o prêmio, conquistando 81 delas.

Nos últimos dias, foram feitas dezenas de acusações contra o produtor, incluindo relatos das atrizes Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow e Rose McGowan - que alega que o produtor a estuprou em um quarto de hotel.

Forças policiais nos EUA e no Reino Unido estão investigando as acusações.

Weinstein insistiu, através de um porta-voz, que qualquer contato sexual que ele tenha tido foi consensual e negou acusações de assédio, agressão e estupro.

Direito de imagem AFP
Image caption Destino da Weinstein Company ainda é incerto

Como co-fundador da Miramax Pictures e da Weinstein Company, Weinstein produziu alguns dos filmes mais celebrados do cinema, como "Pulp Fiction" e "Shakespeare Apaixonado".

A academia britânica British Academy Film Awards (Bafta) já havia suspendido anteriormente o magnata do cinema.

Já o presidente do Festival de Cinema de Cannes, Pierre Lescure, onde Weinstein tinha presença assídua, disse que a organização estava "consternada em saber das acusações".

Irmão 'doente e depravado'

Falando à revista Hollywood Reporter, Bob Weinstein, irmão de Harvey, chamou o produtor de "doente e depravado" e disse que não tinha idéia do "tipo de predador que ele era".

Direito de imagem Getty Images
Image caption Caso Weinstein levou a reunião emergencial do comitê do Oscar

Ele se recusou a comentar relatos de que ele e o conselho da Weinstein Company estavam cientes dos assédios cometidos por Weinstein durante negociações de contratos.

Ele classificou ainda os pedidos de desculpas do irmão como uma "insanidade total" e uma "desculpa idiota".

"Vou te dizer o que eu sabia", disse ele. "Harvey era um valentão, Harvey era arrogante... isto, eu sabia".

Mais cedo, Bob Weinstein negou informações publicadas pela imprensa de que a Weinstein Company - que colocou Harvey Weinstein em licença indeterminada - poderia agora ser fechada ou vendida.

Mas vários projetos de grandes filmes já foram retirados do comando da empresa.

Enquanto isso, na terça-feira, a esposa de Harvey Weinstein, Georgina Chapman, afirmou que decidiu pela separação.

Notícias relacionadas