O que é uma 'ponte instantânea' como a que caiu em Miami, matando 6 pessoas

A ponte caída em Miami Direito de imagem Reuters
Image caption Queda da passarela de pedestres, construída para alunos da Universidade Internacional da Flórida atravessarem rodovia, deixou ao menos seis mortos

Apenas cinco dias. Foi por esse tempo que uma passarela de pedestres ficou em pé em Miami, nos Estados Unidos. Sua queda, ocorrida nesta quinta-feira, deixou vários feridos e pelo menos seis mortos.

A passagem de pedestres havia sido instalada em poucas horas no último sábado, e ligava o campus da Universidade Internacional da Flórida (FIU, na sigla em inglês) com o bairro Sweetwater.

Embora a ponte ainda não estivesse aberta ao público, a passagem de veículos sob ela era permitida. É por isso que, quando estrutura caiu, ao menos oito carros ficaram sob os escombros. As causas do colapso ainda são desconhecidas, e as autoridades informaram que abriram uma investigação para apurar o que ocorreu.

A ponte foi projetada para que os alunos pudessem atravessar com segurança a rodovia de seis pistas que fica entre o campus e uma área residencial.

Com cerca de 864 toneladas e 53 metros de comprimento, ela considerada uma "ponte instantânea", nome corresponde à velocidade com que foi colocada em sua posição final no último sábado pelas empresas americanas MCM e Figg Bridge Group - apenas seis horas.

Direito de imagem Getty Images
Image caption Passagem de carros sob a ponte estava autorizada; vários veículos foram atingidos

Para isso, foi utilizada a técnica de Construção de Ponte Acelerada (ABC, na sigla em inglês), que consiste em construir a ponte de um lado da estrada e depois instalá-la.

"Geralmente, a construção de uma ponte pode levar meses, mesmo anos. Essa técnica permite construir a ponte em um local diferente, mas perto de onde será instalada. Depois, com guindastes, ela é colocada no local definitivo", explica à BBC Reid Castrodale, consultor de engenharia da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, que há alguns anos participou de seminários na universidade para falar sobre a técnica ABC.

Esse método de construção reduz os potenciais riscos para os trabalhadores, motoristas e pedestres e minimiza as interrupções do trânsito, segundo informa a universidade em seu site.

"Com um investimento de US$ 14,2 milhões (cerca de R$ 46 milhões), a ponte também é a primeira do mundo a ser completamente construída de concreto autolimpante, o que reduz os custos de sua manutenção", acrescenta a instituição.

A ponte da Universidade Internacional da Flórida

US$14,2 mi

foi o custo, pago pelo Departamento de Transporte dos EUA

  • 862 toneladas

  • 53 metros

  • 6 horas levou para ser instalada

  • Categoria 5 de tipo de furacão que ela deveria aguentar sem cair

Reuters

Segundo Castrodale, a técnica ABC de "ponte instantânea" não é novidade. "Ela é usada há vários anos. Existe uma série de pontes construídas com essa tecnologia em Massachusetts, chamadas Fast 14", diz, referindo-se a um projeto que substituiu 14 pontes em dez semanas em 2011.

"Com essa tecnologia, uma ponte é construída de forma convencional, apenas a localização (da construção) é diferente. Não vejo nenhuma conexão óbvia entre a tecnologia usada e o colapso", afirma ele.

O prefeito do condado de Miami-Dade, Carlos Giménez, disse que um "teste de estresse" estava sendo realizando na ponte nesta quinta-feira. Dois trabalhadores estavam na passagem quando ela desabou, confirmou o Departamento de Bombeiros local.

Esses testes de estresse são realizados para medir a segurança da ponte e requerem extrema atenção e precisão para evitar danos à sua estrutura. Muito peso na ponte ou força nos cabos ​​pode levar a problemas, de acordo com o jornal Miami Herald.

Image caption A ponte foi instalada em seis horas, e não havia sido inaugurada | Foto: Universidade Internacional da Flórida

Notícias relacionadas