O que são as 'bombas de lava' como a do vulcão Kilauea que feriu 23 pessoas em um barco no Havaí

Lava erupts from Kilauea volcano in Hawaii Direito de imagem Reuters

Uma "bomba de lava" atingiu um barco no Havaí, ferindo 23 pessoas na segunda-feira (23). A explosão vulcânica lançou pedras e detritos pelos ares, que acabaram atingindo a embarcação repleta de turistas.

Um passageiro quebrou a perna, enquanto outros sofreram queimaduras. A lava veio do vulcão Kilauea, que entrou em erupção em maio e, desde então, vem expelindo gás e magma (rocha derretida).

A explosão causou um buraco no teto do barco turístico, que levava visitantes para ver o encontro entre lava e mar.

O barco retornou ao porto após o acidente e os feridos foram levados ao hospital. Will Bryan, que estava na embarcação com a namorada, Erin, descreveu os momentos de desespero que passaram.

"Assim que você vê que está vindo, não há mais tempo para se mexer. E a pior parte é que você está num barco pequeno", disse Bryan à BBC.

Direito de imagem Hawaii DNLR
Image caption A bomba de lava furou o teto da embarcação e feriu turistas

"Você não tem para onde ir enquanto é atingido pela lava. Você só tem 6 metros, e todo mundo está tentando se esconder e se proteger no mesmo lugar. Foi assustador."

Segundo ele, a atmosfera foi de "caos" por vários minutos. "O capitão fez o possível para deixar todo mundo calmo, mas é impossível. O rosto da Erin (namorada dele) estava coberto por fuligem e as minhas costas estavam fervendo", detalhou.

Autoridades locais disseram que o barco era operado pela Lava Ocean Tours, que cobra US$ 250 (cerca de R$ 965) para levar turistas para ver o fluxo de lava no oceano. A quantidade de lava expelida pelo Kilauea foi tão grande a ponto de formar uma nova ilha no Havaí, de pequenas proporções.

Mas o que, exatamente, são as 'bombas de lava'

Direito de imagem USGS
Image caption O influxo de lava no oceado formou uma pequena ilha no Havaí

Essa não é a primeira vez que o Kilauea fere alguém como "bombas de lavas". Em maio, Darryl Clinton estava usando um extintor de incêndio para proteger as casas do bairro onde mora, nas proximidades do vulcão, quando um "projétil quente e vermelho" atingiu sua perna, acima do calcanhar.

O impacto fez com que caísse no chão e cortou a pele até chegar ao osso. Clinton foi resgatado e levado ao hospital, onde teve a perna imobilizada e ficou internado para se recuperar dos ferimentos.

"Foi o impacto mais forte que já senti no meu corpo e na minha vida. Já fui atingido por ondas grandes, mas isso foi muito mais poderoso", contou ele à agência Reuters.

"Os médicos fizeram um trabalho incrível. Eu só queria viver, mesmo que tivessem que cortar a minha perna."

As "bombas de lava" são lançadas de aberturas dos vulcões quando gases interferem com o magma. Magma é a rocha líquida no interior da terra, e a lava é o magma expelido do vulcão.

As "bombas" saem como líquidos quentes e vermelhos de cerca de 1.500 graus Celsius de temperatura. Mas, ao entrar em contato com o ar, esfriam e formam crostas rígidas que variam de tamanho.

Dependendo da temperatura da lava, ela pode queimar ou gerar um foco de incêndio ao entrar em contato com objetos, árvores ou pessoas. Se o indivíduo estiver usando roupa de algodão ou tecido artificial, por exemplo, o pano pode queimar ou pegar fogo no contato com o magma.

O outro risco é o fato de que essas "bombas" podem atingir altas velocidades. Portanto, não só a temperatura, mas também o impacto, podem machucar.

Tamanhos variados

Uma "bomba de lava" pode ser do tamanho de uma maçã ou atingir dimensão e peso maiores que os de uma geladeira. A que atingiu Darryl Clinton teria o tamanho de uma bola de boliche, segundo a Reuters.

Qualquer fragmento de lava com mais de 64 milímetros já é considerado uma "bomba de lava". Algo menor que isso seria uma cinza de vulcão.

E essas "bombas" podem atingir até mil metros de altitude ao serem lançadas. As lavas do Kilauea destruíram centenas de casas e milhares de pessoas tiveram que ser evacuadas de bairros próximos ao vulcão.

Mas, felizmente, não foram registradas mortes. Os únicos atingidos com maior gravidade pelas "bombas de lava" foram os turistas do barco e Darryl Clinton.

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas