O que se sabe sobre atropelamento em Londres investigado como terrorismo

Cena da colisão

Várias pessoas ficaram feridas quando um carro atingiu, no início da manhã desta terça-feira, as barreiras de segurança do lado de fora do Parlamento britânico, informou a Scotland Yard, Polícia Metropolitana de Londres.

O motorista do veículo foi detido por suspeita de ato terrorista logo após o incidente, que aconteceu pouco depois das 07h30 (3h30, no horário de Brasília), no centro de Londres.

O suspeito, que teria entre 20 e 30 anos, está sendo mantido sob custódia e ainda não foi formalmente identificado. De acordo com a polícia, ele não é conhecido do MI5, serviço interno de inteligência britânica, ou da polícia antiterrorista, e não estaria cooperando.

"Nossa prioridade é identificar formalmente o suspeito e determinar suas motivações. Ele não está cooperando no momento", informou Neil Basu, chefe da unidade de polícia antiterrorista.

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo
Vídeo mostra atropelamento em Londres investigado como terrorismo

Ainda segundo a polícia, não havia mais ninguém no carro e não foram encontradas armas no veículo.

As ruas ao redor do Parlamento foram isoladas logo após o incidente.

"Neste momento, estamos tratando isso como um ato terrorista, e a Unidade Antiterrorista da polícia está liderando a investigação", disse a Scotland Yard.

De acordo com as primeiras informações, ciclistas e pedestres foram atingidos pelo veículo e receberam atendimento médico no local.

Duas pessoas foram levadas para o hospital, conforme informou o Serviço de Ambulâncias de Londres, mas uma delas já foi liberada. Uma mulher continua internada com ferimentos graves, mas sem risco de morte.

"Os paramédicos estão tratando de um pequeno grupo de pessoas sentadas no chão do lado de fora do Palácio de Westminster", informou o correspondente da BBC Callum May, que está no local.

Image caption Duas pessoas foram levadas para o hospital após o atropelamento

"Eles estão envoltos em cobertores metálicos", acrescentou.

'Ação pareceu intencional'

Diversas testemunhas disseram que o Ford Fiesta prateado, que seguia na direção oeste, pareceu ter atingido deliberadamente as vítimas, quando atravessou a pista.

"Uma testemunha, que não quis se identificar, disse que viu um pequeno carro indo em direção a um grupo de ciclistas e depois para a barreira em frente ao Palácio de Westminster. O homem disse que a ação do motorista parecia deliberada", contou Callum May.

Direito de imagem Getty Images
Image caption Unidade antiterrorista assume investigações

Barry Williams, que faz parte da equipe da BBC em Millbank, presenciou o incidente:

"Ouvi muitos gritos e me virei. O carro pegou o lado errado da via, onde os ciclistas estavam esperando no sinal e se chocou contra eles."

Image caption Testemunhas acreditam que ação do motorista foi proposital

"Então ele desviou, voltou para o outro lado da pista e acelerou o mais rápido possível, acertando a barreira em cheio."

"Era um carro prata pequeno e bateu numa velocidade tão alta que chegou a levantar do chão e saltar."

"A polícia entrou então em ação. Dois policiais conseguiram pular as barreiras de segurança, e os veículos da polícia armada correram em direção à cena."

Direito de imagem Reuters
Image caption Polícia isolou a área ao redor do Parlamento

Ewalina Ochab, outra testemunha, teve a mesma impressão:

"Me pareceu intencional - o carro estava em alta velocidade e seguiu em direção às barreiras."

"Eu estava andando do outro lado da rua. Ouvi um barulho e alguém gritando. Me virei e vi um carro prateado dirigindo muito rápido perto das grades, talvez até na calçada."

'Corri para salvar minha vida'

Jason Williams também descreveu a ação como algo que "pareceu proposital, mas não um acidente".

"Eu vi pessoas deitadas no chão. Não sei se elas foram realmente atingidas pelo veículo ou não", disse ao programa de rádio Today da BBC.

"Mas eu vi pelo menos 10 pessoas deitadas. Me disseram basicamente para me afastar, para correr. Eu corri para salvar minha vida."

O correspondente da Euronews/NBC no Reino Unido, Vincent McAviney, postou no Twitter um vídeo que mostra a ação da polícia logo após a colisão:

Imagens postadas nas redes sociais mostram um homem cercado por policiais sendo levado de carro algemado.

Logo após a colisão, a Scotland Yard divulgou a seguinte nota:

"Às 07h37 de hoje, um carro colidiu contra as barreiras do lado de fora do Parlamento."

"O motorista do carro foi detido por policiais no local. Vários pedestres ficaram feridos."

As Casas do Parlamento são cercadas por barreiras de segurança de aço e concreto. A proteção foi reforçada após o ataque de 22 de março de 2017. Na ocasião, um homem que dirigia em alta velocidade pela ponte de Westminster em direção ao Parlamento atropelou uma multidão, matando cinco pessoas e ferindo outras 50, até ser morto pela polícia.

Tópicos relacionados