Mergulhador de resgate em caverna da Tailândia processa Elon Musk por difamação

Composição com os rostos de Elon Musk e Vernon Unsworth Direito de imagem AFP
Image caption A briga entre Unsworth (esq.) e Musk (dir.) começou após o bilionário oferecer-se para ajudar no resgate na Tailândia

Um mergulhador britânico que participou da operação de resgate de adolescentes presos numa caverna da Tailândia, em julho deste ano, está processando o bilionário norte-americano Elon Musk por difamação.

Vernon Unsworth ajudou no resgate dos 12 adolescentes tailandeses que estavam presos numa caverna.

Musk lançou várias acusações contra o mergulhador, sem qualquer prova. Acusou-o, inclusive, de ser um "estuprador de crianças".

No processo, o mergulhador pede uma indenização de US$ 75 mil (cerca de R$ 309 mil) e uma ordem judicial para que Musk pare de acusá-lo.

A defesa de Unsworth diz que o objetivo é "punir Musk por seus malfeitos e evitar que ele repita este comportamento hediondo".

O mergulhador diz que Musk usou sua conta no Twitter e seus e-mails para "levar ao público acusações falsas e difamatórias".

À época das acusações, a conta de Musk no Twitter tinha cerca de 22,5 milhões de seguidores.

"O estranho é que ele ainda não tenha me processado", chegou a escrever Musk no Twitter, depois do mergulhador dizer que estava cogitando acionar a Justiça.

Unsworth deu início ao processo no Estado americano da Califórnia. Outra ação correrá em Londres, de acordo com a petição inicial de Unsworth.

"A riqueza e a influência de Musk não podem transformar suas mentiras em verdades ou evitar que ele pague por seus erros diante de um tribunal", disse o advogado americano de Unsworth, L. Lin Wood.

Disputa em torno de submarino

O desentendimento entre Musk e o mergulhador inglês começou quando o bilionário decidiu oferecer um mini-submarino para ajudar no resgate dos adolescentes tailandeses.

O empresário postou imagens do veículo no Twitter e sugeriu que o artefato poderia ajudar na operação.

Em seguida, Unsworth deu uma entrevista à rede de TV CNN, na qual disse que o mini-submarino de Musk era apenas "um truque de relações públicas, (que) não tem a menor chance de funcionar", disse. Disse ainda, de forma grosseira, que Musk podia "introduzir o mini-submarino onde dói".

O fundador da Tesla, então, respondeu com uma série de tuítes nas quais acusava Unsworth de pedofilia.

Mesmo tendo depois deletado os tuítes e pedido desculpas ao mergulhador, Musk voltou à discussão semanas depois.

Numa entrevista por e-mail ao site BuzzFeed, Musk voltou a dizer que Unsworth era um "estuprador de crianças". Ele pediu ao repórter que fosse atrás do que "realmente ocorreu" na caverna, sugerindo que o mergulhador não contribuiu de forma alguma com o resgate das crianças.

Direito de imagem Reuters
Image caption Unsworth, de camisa laranja, forneceu informações fundamentais para o resgate

O bilionário também disse que tinha "tinha esperanças" de que Unsworth tentaria processá-lo.

Unsworth não participou diretamente dos mergulhos de resgate, mas, anteriormente, havia explorado intensamente o complexo de cavernas.

Vários dos mergulhadores que participaram do resgate disseram à reportagem do BuzzFeed que a participação de Unsworth foi "fundamental".

Notícias relacionadas