Por que os planos do Egito de 'exportar' animais vira-latas causaram polêmica
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Por que os planos do Egito de 'exportar' animais vira-latas causaram polêmica

Os planos do governo do Egito de “exportar” 4,1 mil cachorros e gatos vira-latas causaram polêmica e foram recebidos com críticas por ativistas.

Eles temem que os animais possam ser abatidos e virar alimento nos países de destino.

Um dos que se posicionaram contra os planos foi o jogador de futebol egípcio Mo Salah, ponta-direita do clube inglês Liverpool.

“Gatos e cachorros não serão exportados a nenhum lugar. Isso não vai acontecer e não pode acontecer”, disse ele em sua conta pessoal no Twitter.

O tuíte gerou milhares de comentários de outros usuários, que também criticaram os planos.

Autoridades negaram que vão enviar os animais a outros países e reforçaram que apenas concederam licenças de exportação para que outros possam fazê-lo.

Mas um porta-voz do governo egípcio disse que cachorros e gatos vira-latas foram vacinados e que seriam exportados "de acordo com os procedimentos legais".

O Ministério da Saúde do país informou que 65 pessoas morreram neste ano após serem mordidas por cachorros vira-latas.

Estima-se que cerca de 15 milhões de cães sem dono vivam nas ruas do Egito.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Tópicos relacionados