Resgate no poço: menino de 2 anos é encontrado morto por bombeiros na Espanha

José e Victoria Roselló Direito de imagem AFP
Image caption Esta não é a primeira tragédia na vida dos pais do menino

Equipes de resgate na Espanha encontraram o corpo de um menino de 2 anos que caiu em um poço estreito, com mais de cem metros de profundidade, perto da cidade de Málaga, no sul do país, informaram autoridades.

Julen Roselló havia desaparecido durante uma excursão em família no dia 13 de janeiro.

Especialistas trabalharam dia e noite em um túnel escavado paralelamente ao poço. O corpo foi encontrado na madrugada deste sábado no horário local.

"Às 01h25 (22h25 no horário de Brasília), as equipes de resgate chegaram à área do poço onde esperavam encontrar Julen e acharam seu corpo", disse Alfonso Rodriguez Gomez de Celis, representante do governo na região da Andaluzia.

O acidente aconteceu durante um passeio que a família fazia em uma região montanhosa perto do vilarejo de Totalán.

A abertura no chão de apenas 25cm de diâmetro aparentemente foi deixada descoberta, embora o empresário que originalmente o tinha cavado um mês antes tenha insistido que o havia selado. Poços assim são feitos na tentativa de se extrair água ou petróleo do solo.

Direito de imagem EPA
Image caption A abertura no chão na qual Julen caiu tinha 25cm de diâmetro

Equipes de resgate encontraram cabelos entre fragmentos removidos do poço e compararam com amostras de DNA da mamadeira do menino, bem como de sua família, confirmando sua identidade.

Uma câmera enviada pelo buraco encontrou uma sacola de lanches que Julen estava segurando quando caiu. A 73m de profundidade, a câmera encontrou um bloqueio.

Equipes de resgate não haviam recebido nenhum sinal de esperança do menino durante toda a operação.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sanchez, escreveu no Twitter no sábado: "Toda a Espanha sente a infinita tristeza da família de Julen".

"Nós sempre apreciaremos o esforço incansável daqueles que procuraram por ele durante todos esses dias."

Esta não é a primeira tragédia na vida dos pais de Julen, José e Victoria.

Moradores de El Palo, um distrito próximo, eles já perderam um filho de 3 anos, Oliver, que morreu repentinamente há menos de dois anos devido a um problema cardíaco.

Um pacto silencioso

Por James Badcock, de Madri

Por quase duas semanas, um lampejo de esperança manteve os espanhóis e a mídia do país sem tirar os olhos da encosta da montanha que havia engolido Julen, durante um piquenique em família.

Uma vez que os trabalhadores de resgate perceberam que não havia maneira segura de romper a terra sob a qual a criança estava, o que significava que outro poço teria de ser feito, a lógica que ditava a operação era mais a da recuperação do corpo do menino do que a de salvar sua vida. Mas um pacto silencioso vetou tais declarações, enquanto as equipes trabalhavam 24 horas por dia.

Agora, um tribunal tentará determinar as circunstâncias em que Julen foi enterrado por escombros no poço que, de acordo com as autoridades locais, não havia sido feito com as permissões necessárias - assim como muitos outros em todo o país.

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas