Ciclone causa destruição e morte em Moçambique e Zimbábue
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Ciclone causa destruição e morte em Moçambique e Zimbábue

O ciclone Idai, formado no Oceano Índico, está deixando um rastro de destruição e morte no continente africano.

Ele chegou a Moçambique na quinta-feira. Os fortes ventos e enchentes ajudaram a destruir estradas, casas, escolas, hospitais e até uma represa.

Equipes de resgaste estão nas áreas atingidas e o número de mortos, estimado em centenas, deve aumentar.

Apesar de autoridades contabilizarem até o momento 84 mortes em Moçambique, o presidente do país, Filipe Nyusi, disse a uma rádio estatal que o número de vítimas pode chegar a mil.

Imagens aéreas mostram que Beira, a segunda maior cidade moçambicana, teve destruição de 90%. Adultos e crianças foram resgatados por socorristas.

O governo de Zimbábue, onde pelo menos 98 pessoas morreram 217 estão desaparecidas, declarou estado de calamidade em áreas afetadas pela tempestade. O ciclone se dirigia ao Malauí.

Tópicos relacionados