Ministro japonês pede demissão após ser acusado de presentear eleitores com melões e caranguejos

Isshu Sugawara Direito de imagem AFP/Getty Images
Image caption 'Não quero que meus problemas atrasem as deliberações do parlamento', afirmou Sugawara

O ministro da Indústria e Comércio do Japão, Isshu Sugawara, renunciou nesta sexta-feira após ser acusado de violar a lei eleitoral.

De acordo com denúncias publicadas pela imprensa, Sugawara presenteou seus eleitores em Tóquio com melões, laranjas, ovas de peixe e geleia real.

Ele também é acusado de ter oferecido 20 mil ienes (cerca de R$ 738), com forma de condolência, à família de um eleitor que havia falecido.

A lei eleitoral japonesa proíbe os políticos de fazerem doações aos eleitores em sua circunscrição eleitoral.

As denúncias vieram à tona quando a revista semanal Shukan Bunshun publicou uma reportagem afirmando que a secretária de Sugawara havia oferecido um envelope com cerca de 20 mil ienes à família de um eleitor falecido.

Direito de imagem Robert Alexander
Image caption Melões são produtos caros no Japão

É costume no Japão dar dinheiro como forma de condolência às famílias que estão de luto.

A revista também publicou uma lista de presentes enviados por seu escritório, incluindo ovas de bacalhau e caranguejos, assim como as cartas de agradecimento que ele supostamente recebeu dos destinatários.

Sugawara disse à imprensa nesta sexta-feira que ainda estava confirmando se de fato infringiu a lei eleitoral, mas decidiu renunciar, de acordo com o jornal Nikkei Asian Review.

"Não quero que meus problemas atrasem as deliberações do Parlamento", afirmou.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, pediu desculpas, por sua vez, à população:

"Assumo a responsabilidade por tê-lo nomeado, e peço desculpas ao povo japonês."

Direito de imagem Getty Images

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas