O que o Brexit tem a ver com as eleições gerais antecipadas no Reino Unido

Parlamento britânico Direito de imagem Getty Images
Image caption Parlamento concordou com a convocação antecipada de eleições gerais para 12 de dezembro

Os principais partidos políticos do Reino Unido estão se preparando para as eleições gerais em 12 de dezembro.

A votação nacional, que escolherá o novo Parlamento e, por consequência, o primeiro-ministro que administrará o país, acontece supostamente a cada cinco anos. Mas esta pode ser a terceira desde 2015.

O que será decidido?

Um total de 650 pessoas serão escolhidas como membros do Parlamento (MPs) para decidir leis e políticas.

Os deputados são eleitos para a Câmara dos Comuns, uma das duas Casas do Parlamento em Londres, onde o governo é sediado.

Por que o Reino Unido terá uma eleição agora?

Quase três anos e meio depois que a população britânica decidiu pelo Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia, no referendo de 2016, o rompimento ainda não aconteceu.

Os políticos estão divididos: alguns querem que o Reino Unido saia o mais rápido possível, alguns preferem outro referendo e outros ainda querem cancelar o Brexit completamente.

O atual primeiro-ministro, Boris Johnson, não tem deputados suficientes para aprovar facilmente novas leis. Ele espera que uma eleição antecipada aumente o número de parlamentares conservadores, facilitando seus planos para o Brexit.

A próxima eleição geral deveria ocorrer em 2022, mas Johnson vinha pressionando por uma eleição antecipada há algumas semanas. Agora, os partidos da oposição também mudaram de opinião e passaram a apoiar uma eleição antecipada.

O Brexit é a única questão?

Propostas detalhadas sobre tudo, desde a economia, passando por defesa e policiamento, são apresentadas antes de qualquer eleição geral em manifestos formulados pelos partidos políticos.

As questões que mais preocupam os eleitores do Reino Unido mudaram muito, de acordo com pesquisas.

O Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) e a imigração eram as coisas que mais preocupavam em 2015. A União Europeia (UE) era de muito menos interesse.

Agora, no entanto, o Brexit é, de longe, o maior problema.

Como funciona a votação?

Em uma eleição geral, os 46 milhões de eleitores do Reino Unido são convidados a escolher um deputado para sua área — um dos 650 distritos eleitorais.

Qualquer pessoa com 18 anos ou mais pode votar, desde que esteja registrada e seja um cidadão britânico ou cidadão qualificado da Commonwealth (a Comunidade Britânica, que reúne antigas colônias britânicas, inclusive a Austrália) ou da República da Irlanda.

Os idosos são mais propensos que os mais jovens a votar. Nas eleições gerais de 2017, 59% das pessoas de 20 a 24 anos votaram, em comparação com 77% das pessoas de 60 a 69 anos.

A votação ocorre nas assembleias locais, instaladas em lugares como igrejas e salas de aula. Os eleitores colocam uma cruz no boletim de voto ao lado do nome do candidato escolhido e o colocam em uma urna selada.

Como são escolhidos os vencedores?

O candidato com mais votos em cada região eleitoral é eleito para a Câmara dos Comuns.

Para vencer, eles simplesmente precisam de mais votos do que qualquer pessoa contra a qual estejam concorrendo.

A maioria dos deputados representa um partido político, mas alguns são eleitos como candidatos independentes.

Qualquer partido com mais da metade dos deputados (326) na Câmara geralmente forma o governo. O sistema de votação do Reino Unido funciona de modo que os partidos podem assumir o poder com bem menos de 50% dos votos nacionais.

Se nenhum partido possui a maioria dos deputados, o partido com maior número pode formar uma coalizão com um ou mais partidos para ganhar o controle.

O primeiro-ministro não é eleito diretamente pelo público. A pessoa é escolhida pelos deputados do partido vencedor e nomeada pela rainha, que é obrigada a seguir os conselhos deles.

O que aconteceu na última eleição, em 2017?

Desde 1922, apenas os partidos conservador e trabalhista conseguiram alcançar o poder.

Eles foram novamente os dois partidos mais votados na eleição de 2017, mas nenhum deles tinha parlamentares suficientes para formar um governo majoritário. Os conservadores foram os mais votados e formaram uma parceria com o Partido Unionista Democrático (DUP) para obter votos na Casa dos Comuns.

Desde a eleição, os conservadores e trabalhistas perderam parlamentares, enquanto os liberais democratas obtiveram ganhos.

A Câmara dos Lordes é a segunda Casa do Parlamento. Seus membros não são eleitos — são nomeados pela rainha, por conselho do primeiro-ministro.

Quem pode se candidatar?

A maioria das pessoas com mais de 18 anos no dia da votação pode candidatar-se — desde que seja cidadão britânico ou cidadão qualificado da Commonwealth ou da República da Irlanda residente no Reino Unido.

Eles também devem pagar um depósito de 500 libras (cerca de R$ 2.600), que será perdido se não obtiverem pelo menos 5% dos votos em seu reduto eleitoral.

Os candidatos devem atender a certas condições — prisioneiros, funcionários públicos, juízes e membros da polícia e das forças armadas não podem se candidatar.

Quando saem os resultados?

No dia da eleição geral, a votação ocorre entre as 07:00 e as 22:00. Os resultados são declarados durante a noite e no dia seguinte.

Quando o resultado geral é conhecido, o líder do partido vencedor visita o Palácio de Buckingham para pedir permissão à rainha para formar um novo governo.

Direito de imagem Getty Images

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Notícias relacionadas