Got a TV Licence?

You need one to watch live TV on any channel or device, and BBC programmes on iPlayer. It’s the law.

Find out more
I don’t have a TV Licence.

Pontos-chave

  1. Vitória do republicano foi pavimentada por apoio supreendente em Estados-pêndulo, como Ohio e Flórida
  2. Pesquisas em diversos Estados apontavam vantagem de Hillary Clinton
  3. Trump governará com maioria republicana na Câmara e no Senado
  4. Derrotada no Colégio Eleitoral, democrata pode ter recebido a maioria no voto popular

Ao Vivo

time_stated_uk

  1. Bernie Sanders: 'Espero que derrotemos Trump'

    Embora não tenha conseguido concorrer à Presidência dos EUA, o senador Bernie Sanders foi, sem dúvidas, uma das estrelas do processo eleitoral deste ano.

    Sem medo de se dizer socialista, ele conquistou uma legião de seguidores ao defender propostas como tornar as universidades americanas gratuitas por meio da taxação do mercado financeiro de Wall Street.

    Após perder a indicação democrata para Hillary, passou a apoiá-la - um dos desafios da candidata passou a ser atrair o eleitor jovem identificado com as propostas dele. 

    Ao votar nesta terça, ele tuitou: "Espero que hoje derrotemos Donald Trump, e que o derrotemos com folga" - veja abaixo.

  2. Voto no espaço, restrição a ateus e duelos proibidos: 10 curiosidades sobre as eleições nos EUA

    Local de votação nos EUA

    Alguns Estados americanos foram acumulando peculiaridades eleitorais nas últimas décadas:

    • Banimento de "idiotas": a Constituição do Kentucky proíbe "idiotas e pessoas insanas" de votar;
    • Banimento de ateus: no Texas é exigido que qualquer candidato a cargos públicos "reconheça a existência de um ser supremo";
    • Votando várias vezes: Ao menos sete Estados permitem que os eleitores mudem de ideia caso tenham votado antes do dia da eleição;
    • Voto no espaço: Uma lei de 1997 do Texas criou um procedimento técnico permitindo que os astronautas votem a partir do espaço.

    Quer saber mais? Leia a reportagem completa aqui.

  3. Os grupos que podem definir o próximo presidente americano

    Apenas 537 votos na Flórida. Em uma eleição com mais de 100 milhões de votos, esse foi o número que permitiu ao republicano George W. Bush vencer o democrata Al Gore e ser eleito presidente dos Estados Unidos em 2000.

    Por causa de exemplos assim, os candidatos não podem ignorar certos setores da sociedade ─ embora a eleição presidencial americana seja muitas vezes descrita como um exercício para atrair o maior número possível de eleitores.

    Conheça, em reportagem da BBC Brasil, cinco grupos, de diferentes portes, que podem fazer a diferença na corrida eleitoral hoje, quando os americanos escolhem entre a democrata Hillary Clinton e o republicano Donald Trump para suceder Barack Obama.

    Trump e Hillary
    Image caption: Republicano Donald Trump e democrata Hillary Clinton intensificaram campanhas na reta final das eleições
  4. ABC divulga primeiros resultados de boca de urna

    A rede de TV americana ABC divulgou os primeiros resultados de suas pesquisas de boca de urna.

    Os dados, segundo a rede, são “preliminares e podem mudar ao longo da noite”.

    Alguns indicadores confirmam o que muitos eleitores americanos vêm dizendo há tempos – nenhum dos candidatos é visto de maneira muito positiva e ainda há dúvidas sobre a honestidade e confiabilidade de Hillary Clinton e Donald Trump.

    Confira alguns números das pesquisas:

    - 54% dos eleitores veem Hillary de modo desfavorável, índice que chega a 61% no caso de Trump;

    - 54% dos eleitores se opõem à proposta de Trump de construir um muro na fronteira com o México;

    - 51% dos eleitores afirmam que se incomodam muito com o tratamento de Trump em relação às mulheres, e 44% se dizem incomodados pelo episódio dos e-mails de Hillary.

    - 53% dos eleitores dizem que Hillary é qualificada para o cargo, e 56% afirmam que ela tem o temperamento certo para a função;

    - 24% dos eleitores dizem ter decidido o voto no último mês.

  5. Hillary e o 'teto de vidro'

    Javits Center

    Tanto Trump como Hillary estão programando seu discurso da vitória em Nova York.

    O correspondente da BBC Brasil nos EUA, João Fellet, está na cidade para acompanhar a celebração, seja ela democrata ou republicana.

    O local escolhido por Trump é o hotel Midtown Hilton, que fica a menos de 4 quilômetros do de Hillary.

    Se for vitoriosa, ela fará seu discurso em um local bastante simbólico: literalmente debaixo de um teto de vidro, no espaço de convenções Javits Center.

    Desde o início de sua campanha, a democrata vem  reiterando o fato de estar "quebrando um teto de vidro", em referência às dificuldades que as mulheres enfrentam para chegar a altos cargos na política e em outras áreas.  

  6. Estamos ao vivo também no Facebook

    A BBC Brasil também está ao vivo no Facebook com transmissões, análises e entrevistas sobre as eleições americanas.

    A partir das 22h (horário de Brasília), a repórter Néli Pereira, o editor-executivo da BBC Brasil em São Paulo, Caio Quero, e o correspondente João Fellet, que está em Nova York, conversam com especialistas sobre a apuração e os cenários a partir dos primeiros resultados. 

    Durante as transmissões, você poderá enviar perguntas, dúvidas e comentários, que serão respondidos ao vivo.

    As primeiras entradas serão às 22h e 0h. Outras ocorrerão até o resultado, que pode ser definido ainda na madrugada desta quarta-feira.

    Clique aqui e acompanhe ao vivo.

    Caio Quero, João Fellet e Neli Pereira, em transmissão da BBC Brasil
  7. Eleições podem não terminar nesta noite, diz Trump

    "Tenho que ver o que está acontecendo", respondeu o republicano após ser questionado, em entrevista por telefone à Fox News, sobre a conclusão do pleito.

    "Há algo que é realmente agradável sobre o velho sistema de cédula de papel. Talvez demore muito mais, mas há algo terrivelmente agradável sobre o sistema antigo. Você não se preocupa com hackers. Você não se preocupa com todos os problemas que você está vendo."

    Ele também foi questionado sobre como governar um país dividido.

    "Precisamos de empregos, nossos empregos estão sendo roubados como nunca antes", disse ele, repetindo um discurso que o acompanhou durante toda a campanha. 

    Ele acrescentou ser "inacreditável" o número de fábricas fechadas no país nos últimos 15 anos.

    Candidato republicano Donald Trump
  8. Disputa apertada entre os candidados - pelo menos nas buscas online

    Buscas pelos candidatos no Google

    Quem - e o que - o eleitorado dos Estados Unidos está buscando online?

    Segundo o Google, o candidato republicano apresenta uma leve vantagem, mas Clinton e Trump estão quase empatados. Ambos têm enorme quantidade de buscas.

    Nas últimas horas, as pesquisas por Trump superaram as por Clinton em 11 Estados: Arizona, Arkansas, Colorado, Kansas, Minnesota, Mississippi, Missouri, New Hampshire, Dakota do Norte, Oklahoma e Dakota do Sul.

    Clinton, por outro lado, ganha de Trump no Alasca, na Georgia, no Havaí e em Vermont.

    Possivelmente, são buscas por informações de último minuto que possam ajudar na decisão sobre o voto. 

    As perguntas mais buscadas ligadas ao processo eleitoral nos EUA são:

    1. Posso votar pessoalmente se eu me registrei para votar por carta?
    2. Posso votar em uma seção eleitoral diferente?
    3. Posso entregar meu voto por carta em uma seção eleitoral?
    4. Posso votar em qualquer lugar da California?
    5. Posso votar pessoalmente em vez de por carta?
  9. Fila para votação em Washington

    O vídeo abaixo, publicado pela BBC no Twitter, mostra eleitores dando a volta no quarteirão para registrar seus votos em Washington, capital dos Estados Unidos.

    O registro de longas filas em alguns Estados tem chamado a atenção - e pode ser um indicativo de alta participação.

    Nos EUA, o voto é facultativo.

    View more on twitter
  10. O voto de Trump

    Donald e Melania Trump votam

    O republicano Donald Trump votou no East Side, em Manhattan, Nova York.

    Acompanhado de sua mulher, Melania, da filha Ivanka e do genro Jared, disse: "É uma grande honra, uma extraordinária honra".

    Em um último apelo aos eleitores, disparou o slogan de sua campanha: "Make America great again" ("Faça a América grande de novo").

    "E isso é tudo. É disso que tudo se trata."

    Na foto acima, ele dá uma "espiadinha" no voto de Melania.

  11. O voto de Hillary

    A democrata Hillary Clinton votou em uma seção próxima de sua casa em Chappaqua, no Estado de Nova York.

    Acompanhada do marido, o ex-presidente Bill Clinton, ela deixou o local sorridente e cumprimentando apoiadores.

    "Estou tão feliz", disse ela. "Estou muito feliz, meus amigos e meus vizinhos, isso aqui me deixa muito feliz."

    Bill Clinton e Hillary Clinton
  12. As questões-chave para acompanhar a apuração da eleição nos EUA

    Eleitores americanos
    • Quando sai o resultado?
    • Como é a contagem dos votos?
    • O que são 'Estados-pêndulo' e quais são as disputas decisivas?

     A BBC Brasil elaborou um guia para você acompanhar o desfecho da disputa pela sucessão de Obama.  

  13. Quem são os candidatos?

    Embora vários postulantes possam receber votos nas urnas, historicamente a disputa fica polarizada entre os nomes escolhidos pelos dois principais partidos, o Democrata e o Republicano. 

    Nesta eleição, eles são: 

    A democrata Hillary Clinton, que já foi primeira-dama, senadora e secretária de Estado e é a candidata apoiada pelo atual presidente, Barack Obama (saiba mais sobre ela neste perfil publicado pela BBC Brasil).

    Hillary Clinton

    E o republicano Donald Trump, bilionário do setor de imóveis e apresentador de TV, que faz sua estreia em uma eleição (para conhecer sua trajetória, clique aqui).

    Donald Trump
  14. Boas-vindas

    Seja bem-vindo(a) à nossa cobertura das eleições americanas.

    Acompanhe com a BBC Brasil o fechamento das urnas, a apuração dos resultados e o anúncio do novo presidente dos EUA, que pode ser conhecido já na madrugada desta quarta-feira.