A economista que deixou o Japão para viver com marido colombiano em favela carioca: 'É o paraíso'
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

A economista que deixou o Japão para viver em favela carioca: 'É o paraíso'

Nascida na cidade de Fukuoka, no sul do Japão, a economista Chigusa Imada viajou por todo o Brasil há quatro anos. Durante a viagem, "para decidir o futuro", se apaixonou duas vezes: pelo Rio de Janeiro e pelo seu marido, um artesão colombiano que trabalha nas areias de Ipanema.

Chigusa casou e teve uma filha no Rio, cidade que ela chama de "paraíso". A família mora no Morro do Cantagalo, Zona Sul do Rio, a três quarteirões da praia de Ipanema.

"(Na favela) as pessoas estão muito perto, se comunicam, se cumprimentam. Na cidade metropolitana já não existe esta comunicação", ela diz.

Chigusa é guia de turismo e tradutora no Brasil, recebendo principalmente grupos de japoneses. Durante os jogos, porém, trabalha na Casa Japão, onde leva os visitantes a percorrer a cultura do país sede dos jogos de 2020.

Ela se diz feliz com o Rio e com o marido.

"No Japão também tem machismo, como aqui. Eu casei com um hippie por isso", diverte-se ela, que está grávida novamente.

A história de Chigusa faz parte da série #Olhares, na qual a BBC Brasil traz depoimentos de estrangeiros sobre o Brasil. Os vídeos serão publicados ao longo dos Jogos Olímpicos.

No próximo episódio, o produtor cultural britânico Bob Nadkarni, dono do celebrado clube de jazz The Maze, diz que os "verdadeiros brasileiros estão nas favelas".