Guerra na Síria: vítima de fake news após ataque mostra cicatrizes de bombardeio em escola

Guerra na Síria: vítima de fake news após ataque mostra cicatrizes de bombardeio em escola

Mais de 25 mil crianças foram mortas na Guerra da Síria desde março de 2011, quando o conflito começou — e milhares de escolas foram destruídas.

Em agosto de 2013, a Escola Iqra, localizada na cidade de Aleppo, foi bombardeada por um caça sírio. Onze pessoas morreram, e muitas outras ficaram gravemente feridas.

Uma equipe da BBC estava filmando em um hospital infantil próximo, quando as vítimas começaram a chegar.

Apoiadores do regime de Bashar al-Assad até hoje alegam que as imagens gravadas são falsas e que o ataque nunca aconteceu. Eles chegam a afirmar que as crianças vistas feridas e cambaleando no hospital estariam atuando.

Oito anos depois, o cinegrafista da BBC Darren Conway voltou para conversar com os sobreviventes e parentes daqueles que não sobreviveram ao ataque.

"Isso é invenção? As cicatrizes na minha pele? Três anos em hospitais tentando conseguir tratamento?", questiona Muhammed Assi, um dos sobreviventes do bombardeio, enquanto mostra as cicatrizes em seu corpo.

Os ataques a escolas acontecem até hoje. Mas o governo sírio e seus aliados russos negam atacar civis deliberadamente.