Número de mortos em enchentes de El Salvador passa de 120

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Pelo menos 124 pessoas foram mortas em El Salvador pelas enchentes e deslizamentos de terra depois de dias de chuvas torrenciais que atingiram o país.

Autoridades afirmam que as regiões da capital, San Salvador, e a província de San Vicente, no centro do país, foram as mais afetadas.

O presidente salvadorenho Maurício Funes declarou estado de emergência nacional e descreveu os prejuízos como "incalculáveis".

"Frente a esta grave tragédia que estamos vivendo, declaro emergência nacional para mobilizar todos os recursos humanos e financeiros do Estado para lidar com os prejuízos e as vítimas. Esta emergência visa destacar a gravidade da situação", disse o presidente. "Na região do vulcão de San Vicente, que é uma das mais afetadas, foram registrados 355 milímetros de chuva em apenas quatro horas."

O ministro do Interior Humberto Centeno afirmou que 60 pessoas ainda estão desaparecidas e cerca de 7 mil estão em abrigos.

Deslizamentos

As chuvas também levaram a deslizamentos de grandes rochas do vulcão Chichontepec que soterraram várias casas na cidade de Verapaz, na província de San Vicente.

Grandes áreas de El Salvador continuam sem eletricidade ou fornecimento de água, além de estarem isoladas e sem receber ajuda do governo, de acordo com o correspondente da BBC para a América Latina Will Grant.

O correspondente afirma que esta é a maior crise que o governo de Maurício Funes enfrenta desde que assumiu a Presidência há cinco meses.

As inundações ocorreram em meio à passagem do furacão Ida a leste de El Salvador, há três dias. No entanto, meteorologistas afirmam que o furacão não foi o responsável pelas fortes chuvas.

O centro meteorológico da BBC afirmou que as chuvas que atingiram o país foram causadas principalmente por um centro de baixa pressão no Oceano Pacífico.

O furacão agora é considerado uma tempestade de categoria um, está a caminho do Golfo do México e ainda tem ventos de até 145 quilômetros por hora. As instalações de petróleo e gás da região poderão ser ameaçadas pela tempestade.

O Estado americano da Louisiana também declarou emergência. As áreas costeiras da Flórida, Mississippi e Alabama também foram colocadas em alerta.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.