áfrica

Venda de marfim continua proibida

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

O órgão das Nações Unidas que trata do comércio de vida animal rejeitou pedidos da Tanzânia e da Zâmbia para vender marfim.

Uma votação esta semana no encontro na reunião da Convenção Internacional sobre o Comércio de Espécies Ameaçadas (CITES, na sigla em inglês) em Doha, no Catar, negou autorização para uma única venda de estoques governamentais.

Um relatório preparado pelo órgão encarregado de monitorar o comércio ilegal da fauna, Traffic, divulgado pouco antes da conferência manifestou preocupação de que organizações criminosas estariam se envolvendo na caça de elefantes na Tanzânia e no contrabando do marfim.

O documento também disse que quase a metade do marfim dos estoques do governo têm origem desconhecida.

Grupos de preservação dos animais disseram que a autorização excepcional do comércio garante a contínua existência de um mercado para o marfim.

A última venda autorizada - em Botsuana, Namíbia, África do Sul e Zimbábue - ocorreu em 2008.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.