Oriente médio

Líbia: imagens mostram troca de tiros nas ruas

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Imagens de vídeo amador mostram os recentes protestos em várias partes da Líbia e forças de segurança abrindo fogo contra manifestantes na cidade de Benghazi.

A organizações de defesa de direitos humanos Human Rights Watch diz que mais de 230 pessoas foram mortas desde o início dos protestos, na quarta-feira.

As imagens da cidade de Benghazi mostram agentes do governo líbio à paisana. Mas, estranhamente, eles usam capacetes amarelos para se identificar. As ruas estão tomadas pelo caos.

Testemunhas relataram por telefone à BBC que disparos de armas são ouvidos regularmente na cidade.

Ainda em Benghazi outras imagens mostram pessoas armadas em protestos da oposição.

A verificação das informações sobre os protestos na Líbia têm sido difícil pois há restrições à presença de jornalistas estrangeiros, a internet foi interrompida e há poucas informações.

Pronunciamento

O filho de Khadafi, Sayf al-Islam al-Khadafi, durante pronunciamento

Sayf al-Islam al-Khadafi afirma que número de mortos é imaginário

Um dos filhos do líder líbio Muammar Khadafi, Sayf al-Islam al-Khadafi, fez um pronunciamento transmitido pela televisão estatal.

No discurso, Sayf admitiu que houve mortes mas negou que os confrontos tivessem deixado um número alto de mortos e feridos.

O filho de Khadafi alertou para o risco de o país mergulhar em uma guerra civil.

Este foi o primeiro pronunciamento de uma autoridade líbia desde o início dos protestos.

Sayf também acusou "elementos de oposição" no exterior de tentar iniciar uma revolução pelo Facebook no estilo do Egito e disse que as forças de segurança evitaram o plano.

O próprio líder, Mummar Khadafi, também apareceu na televisão, cercado por partidários. No entanto, ele ainda não se pronunciou a respeito dos protestos.

Os protestos contra o governo, antes concentrados no leste do país, chegaram à capital, Trípoli no domingo.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.