Brasil

‘O coração está doído’, diz aluno em Realengo

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Tocar com outro programa

O jovem Marcos Vinícius dos Santos França, de 12 anos, afirma que só está vivo hoje graças ao policial que interrompeu a ação do atirador Wellington Menezes de Oliveira na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na última quinta-feira.

“Se não fosse aquele policial ali, estaria todo mundo morto”, acredita.

O atirador não entrou na sala de Marcos Vinícius, mas o aluno o viu no corredor quando fugia com seus outros colegas.

Marcos Vinícius dos Santos França

Marcos Vinícius dos Santos França agradece a vida ao policial

“Ele estava com uma camisa verde, calça verde e um cinturão cheio de munição”, afirmou à BBC Brasil.

“Mandou todo mundo ficar de pé e de frente para o quadro, e disse que ele ia matar todo mundo.”

O ataque foi interrompido depois que o sargento Márcio Alves atirou contra Wellington, que se suicidou..

“Quando eu desci, era garota nova, muito nova, morta no chão”, lembra o rapaz. “Não tem nem palavra para falar. O coração está doído, todo mundo chorando. Era muita gente chorando, gritando”, lembra.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.