BBC World Service LogoHOMEPAGE | NEWS | SPORT | WORLD SERVICE
Portuguese Pesquisa na BBC Brasil
 
Primeira Página
Saúde &
Tecnologia
Economia
Cultura
Especial
Fórum
Aprenda inglês
ÁUDIO
Dois minutos pelo mundo
Notícias
Mundo Hoje
De Olho
no Mundo
Programação
Como Sintonizar
SERVIÇOS
Parceiros
Sobre a BBC
Expediente
Página simplificada
Fale com a gente
Empregos
E-manchetes
LÍNGUAS
Espanhol
Português para a África
Árabe
Chinêês
Persa
Hindi
Urdu
BBC News
BBC Sport
BBC Weather
 Você está em: Notícias
01 de abril, 2002 - Publicado às 00h38 GMT
Guia da Guerra das Malvinas



As Malvinas, chamadas pelos britânicos de Falklands, são um arquipélago de dezenas de ilhas ao sul do Oceano Atlântico.

O território pertence à Grã-Bretanha, e a grande maioria da população das ilhas é de origem britânica.

As Malvinas estão a 500 quilômetros da costa argentina. Duas ilhas se destacam no arquipélago pelo tamanho. A capital Porto Stanley está na ilha ao leste, a mais desenvolvida.

A seguir, perguntas e respostas sobre o conflito entre a Grã-Bretanha e a Argentina pela ilhas:

Por que houve a guerra?

A guerra foi resultado de uma disputa territorial entre a Grã-Bretanha e a Argentina pelo arquipélago das Malvinas. Os argentinos reivindicam a soberania da região desde o século 19. Negociações para resolver a disputa política começaram em 1965, mas não deram resultados, principalmente pelo fato de a população local ser contra a transferência da soberania para a Argentina. Em 1982, o governo militar argentino resolveu tomar as ilhas à força, o que provocou a reação militar britânica.

Quando foi a guerra?

O conflito teve início no dia 2 de abril, quando os argentinos ocuparam as Malvinas. A guerra acabou no dia 14 de junho, quando os militares britânicos tomaram Porto Stanley, depois da rendição argentina.

Como foi a guerra?

As forças da Grã-Bretanha, mais poderosas do que as da Argentina, tiveram de cruzar o Oceano Atlântico para retomar o controle das ilhas. As tropas desembarcaram na ilha ao leste, na costa oposta à capital Porto Stanley. O avanço terrestre britânico até Stanley teve apoio das artilharias aérea e naval. Até o desembarque, a Argentina conseguiu resistir, afundando navios britânicos com os mísseis Exocet. Depois, a tarefa dos argentinos ficou muito mais difícil. O conflito durou 74 dias. Morreram em combate 649 argentinos e 255 britânicos. Três habitantes das ilhas morreram durante os bombardeios.

Quais os argumentos da Argentina sobre a soberania?

O principal argumento é o fato de os britânicos terem expulsado os moradores argentinos em 1833 para iniciar a colonização atual. Antes e ao mesmo tempo, britânicos e espanhóis tiveram assentamentos no arquipélago, mas as ilhas estavam abandonadas quando os argentinos chegaram. A Argentina também acredita que herdou o território da Espanha.

Quais os argumentos britânicos?

Os britânicos disputaram a soberania do arquipélago no século 18 com a Espanha. Os dois países chegaram a estabelecer colônias paralelas na região. Os britânicos abandonaram seu assentamento, mas nunca desistiram da soberania. O principal argumento hoje é que a população das ilhas é britânica e quer manter os laços coloniais.

Como o mundo reagiu à guerra?

A Europa ficou do lado da Grã-Bretanha. Os Estados Unidos, no início, tentaram mediar o conflito, mas depois apoiaram os britânicos, impondo sanções à Argentina. O regime argentino contava com a neutralidade americana, pois na época ajudava militarmente os Estados Unidos na América Central. Entretanto, o então presidente americano, Ronald Reagan, preferiu respaldar o tradicional aliado, no momento em que as tensões da Guerra Fria aumentavam. O Brasil, que considerava justa a reivindicação argentina, não apoiou a ocupação militar e defendeu uma solução pacífica para a crise. A ONU condenou a ação e pediu negociações diplomáticas.

Quais foram as conseqüências da guerra?

O regime militar argentino entrou em colapso, e o país realizou eleições democráticas em 83. O plano do general Leopoldo Galtieri, presidente da Argentina, de ganhar apoio popular com a invasão, teve, no final, efeito inverso. Do lado britânico, a vitória consolidou o governo da primeira-ministra Margaret Thatcher. Para a comunidade das ilhas, a guerra acabou trazendo efeitos positivos, já que a Grã-Bretanha renovou seu compromisso com o arquipélago e passou a investir no lugar.

Como está a situação diplomática hoje?

Argentina e Grã-Bretanha têm hoje boas relações diplomáticas. Os argentinos continuam a reivindicar a soberania das ilhas, mas aceitaram engavetar a disputa para não atrapalhar outros aspectos da relação. Os britânicos não aceitam negociar a soberania. Os habitantes das ilhas voltaram a aceitar a entrada de argentinos no lugar em 1999, mas a relação entre o arquipélago e o continente ainda é ruim.
 
   E-MANCHETE
Assine o serviço da BBC Brasil para receber as principais notícias por e-mail.
   ORIENTE MÉDIO
Leia as últimas notícias e análises sobre o processo de paz entre Israel e os palestinos.







Notícias relacionadas:
01 de abril, 2002
  Malvinas se transformam em eldorado do Atlântico
01 de abril, 2002
  A história das ilhas
01 de abril, 2002
  Em imagens: a Guerra das Malvinas
Links externos:
Goveno das Malvinas (em inglês)
Ministério das Relações Exteriores da Grã-Bretanha (em inglês)
Ministério das Relações Exteriores da Argentina (em espanhol)
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
BBC World Service Logo ^^Volta ao início da página
Primeira Página | Saúde & Tecnologia | Economia | Cultura | Especial
Fórum | Aprenda inglês
---------------------------------------------------------------------------------------------------
Programação | Como Sintonizar
Parceiros | Sobre a BBC