Americano pousa de pára-quedas com instrutor morto

O soldado Daniel Pharr
Image caption Soldado assumiu controle do pára-quedas depois da morte do instrutor

Um soldado americano que saltou de pára-quedas na modalidade queda livre (skydiving) pela primeira vez, teve que pousar sozinho depois que seu instrutor morreu durante o vôo, nos Estados Unidos.

Daniel Pharr, 25 anos, tinha ganhado o salto de presente de Natal da namorada. Depois de saltar do avião com o instrutor George "Chip" Steele, percebeu que ele não estava bem, quando fez uma pergunta e o instrutor não respondeu.

O soldado teve então que assumir o comando do pára-quedas - que tinha sido aberto pelo instrutor quando este ainda estava consciente - e conseguiu desviar de uma casa e de algumas árvores antes de pousar, perto de Chester, na Carolina do Sul, no sábado passado.

Ao chegar ao chão, ele tentou ressuscitar o instrutor que, aparentemente, sofreu um ataque cardíaco ainda no ar, mas ele já estava morto.

'Treinamento militar'

Pharr afirma que não entrou em pânico quando percebeu que havia algo errado com o instrutor.

"O treinamento militar entrou em cena", disse o soldado ao jornal local Charlotte Observer. "Eu sabia que tinha que descer".

Pharr disse ter uma idéia de como o pára-quedas é controlado depois de ter visto saltos em programas de TV, e esticou o braço para procurar as alças do pára-quedas.

Ele só teve acesso a uma das duas alças usadas para dirigir o pára-quedas, a da direita, mas mesmo assim, conseguiu manobrá-lo até pousar em segurança.

Já em solo, outros instrutores disseram que ele teve muita sorte, pois se tivesse puxado a alça com muita força, o pára-quedas poderia ter caído diretamente no solo.

A queda livre é a modalidade de pára-quedismo em que a pessoa salta e espera quase um minuto até abrir o pára-quedas.