Milhares escapam de reduto rebelde no Sri Lanka

Civis que fugiram de reduto dos Tigres Tâmeis, no Sri Lanka
Image caption O governo disse que milhares de pessoas escaparam da área de conflito

Mais de 10 mil civis escaparam do território dominado pelos rebeldes Tigres Tâmeis, no norte do Sri Lanka, nos últimos dias, de acordo com informações do governo do país.

A presidente do Sri Lanka, Mahinda Rajapakse, pediu para que os rebeldes permitam a saída de outros milhares de civis da área e em seguida se rendam incondicionalmente.

O reduto rebelde está sendo submetido a uma crescente pressão do Exército e agências de ajuda humanitária expressaram preocupação com os mais de 200 mil civis que ainda estariam presos na região.

O governo acusou os rebeldes de impedir pessoas que não estão envolvidas nos combates a deixar a área e utilizá-las de escudos humanos.

Porém, os Tigres Tâmeis dizem que os civis estão permanecendo no enclave porque temem o Exército do país.

Jornalistas independentes estão sendo impedidos pelo governo de viajar às áreas atingidas pela guerra, portanto não existem formas de obter confirmações independentes sobre as afirmações dos dois lados.

O Ministério da Defesa disse em um comunicado divulgado pela agência de notícias AFP: "Mais de 10 mil civis foram a Kilinochchi enquanto que outros 139 foram para Jaffna desde quarta-feira."

"Entre os civis resgatados estão 2,8 mil crianças e cerca de 3 mil mulheres."

Enquanto isso, o Exército disse que estava fechando o cerco aos Tigres Tâmeis, deixando os rebeldes confinados a uma área de cerca de 200 quilômetros quadrados.

Com a intensificação dos combates, o Exército disse que os rebeldes sofreram grandes perdas no sábado.

O site pró-rebelde Tamilnet disse que 120 civis foram mortos em dois dias de bombardeios.

Agências de ajuda humanitária - mais recentemente o Programa de Alimentos da Organização das Nações Unidas (ONU) - continuam preocupadas com a situação de milhares de civis que estão presos entre os dois lados do conflito.