Alemã foi condenada em novembro por simular ataque neonazista

Em novembro passado, uma mulher foi julgada culpada pela Justiça da Alemanha, depois de simular um suposto ataque de neonazistas.

O caso que mais chamou a atenção envolveu a estudante Rebecca K., em novembro de 2007. A moça, na época com 17 anos, afirmou que quatro neonazistas de cabeça raspada a atacaram e usaram um estilete para cortar uma suástica em sua cintura, quando ela tentava proteger uma criança de 5 anos, filha de imigrantes, que estaria sendo importunada pelos homens.

A juíza que julgou o caso, em um tribunal da cidade de Hainichen, no leste da Alemanha, afirmou terem sido coletados indícios suficientes, incluindo exames de médicos legistas, provando que a garota desenhou ela mesma a suástica no corpo.

Além disso, a garota que K. afirmou tentar salvar do ataque dos homens não se encontrava na cidade no dia do ocorrido. A jovem foi condenada a prestar 40 horas de trabalho em instituições sociais.

Em outro incidente parecido ocorrido em dezembro de 2002, uma filha de um cubano de 14 anos disse à polícia de Guben, cidade nos arredores de Berlim, ter sido atacada por neonazistas, que teriam gravado uma suástica em seu rosto. Mais tarde, a garota reconheceu ter inventado a história.

Em 1994, uma estudante deficiente, usuária de cadeira de rodas e moradora de Halle, no leste da Alemanha, contou à polícia ter sido atacada por três neonazistas que gravaram uma suástica na bochecha.

A alegação se revelou, mais tarde, ser falsa. Após a primeira notícia do suposto ataque, mais de 10 mil pessoas foram às ruas da cidade protestar contra violência contra estrangeiros.

Em 2006, a poucas semanas da Copa do Mundo da Alemanha, um italiano Gianni C., de 30 anos, foi preso e julgado culpado por ter afirmado que foi atacado por skinheads em Berlim. Ele deu entrada no hospital com vários ferimentos, afirmando ter levado uma surra por neonazistas.

O caso rendeu manchetes na imprensa internacional e jornais italianos chegaram a noticiar o aumento de ataques a estrangeiros no país.

Pouco depois, a polícia achou um vídeo de uma estação do metrô berlinense, em que o italiano podia ser visto pulando os trilhos do metrô em aparente estado de embriaguez, levando vários tombos durante o trajeto. O rapaz recebeu ordem de prisão ainda na cama do hospital.

Notícias relacionadas