Acordo ortográfico ainda desperta polêmica no exterior

Livros

O acordo ortográfico entrou em vigor no Brasil no início do ano, sem muito alarde e sem muita discussão, antes de qualquer outro país lusófono. Mas a reforma ainda gera polêmica em outros países de língua portuguesa.

Em Portugal, um manifesto digital "em defesa da língua portuguesa, contra o acordo ortográfico" já reuniu quase 100 mil assinaturas e foi discutido em uma audiência com o presidente Cavaco Silva.

Mas mesmo com um movimento contrário à adoção da reforma que uniformiza a escrita nos oito países de língua portuguesa, as mudanças na ortografia devem começar a ser implementadas ainda este ano em Portugal, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. Moçambique, Guiné-Bissau, Angola e Timor-Leste ainda não ratificaram o texto.

A BBC Brasil decidiu investigar como o acordo ortográfico, que ganhou o pontapé inicial no Brasil, está sendo visto nos outros países envolvidos, além de discutir o impacto das mudanças e analisar quais outros fatores influenciam a evolução da língua.

Em um especial multimídia sobre o assunto, trazemos vídeos sobre as diferenças entre a linguagem usada em Portugal e no Brasil, sobre a influência da música de origem africana no vocabulário usado em Portugal e sobre as alterações de ortografia feitas pelos jovens quando usam mensagens de celular ou de internet. Também temos um vídeo sobre a segunda língua oficial de Portugal, o mirandês, e outro sobre a Biblioteca Joanina, que guarda tesouros da língua portuguesa, em Coimbra.

Em áudio, produzimos um Panorama BBC especial sobre o acordo ortográfico, gravado na Biblioteca Nacional, em Lisboa, que conta com comentários enviados por leitores do nosso site e com a participação do linguista Malaca Casteleiro, que trabalhou na elaboração do acordo representando Portugal; da professora da Universidade de Lisboa Maria Alzira Seixo, uma das signatárias da petição contra a reforma; do escritor angolano José Eduardo Agualusa e da diretora da Associação Nacional de Editores de Livros do Brasil, Sonia Machado.

Também ouvimos jovens de cinco países lusófonos que discutiram as mudanças na escrita do português e como eles serão afetados.

O especial traz ainda uma série de reportagens em texto sobre o andamento da reforma ortográfica no resto do mundo lusófono e os desdobramentos das mudanças já adotadas no Brasil.

Notícias relacionadas