Índia cria arquivo de posições de yoga para evitar pirataria

Homem sagrado hindu praticando yoga
Image caption A yoga é praticada pelos indianos há pelo menos 6 mil anos.

Um grupo de cerca de 200 gurus e cientistas da Índia se reuniu para identificar todas as antigas posições de yoga - as asanas - para prevenir a pirataria.

A medida, que tem o apoio do governo indiano, é uma resposta à concessão de dezenas de patentes nos Estados Unidos a professores de yoga que alegam ter sido os criadores de determinadas asanas e que podem estar se beneficiando indevidamente de um conhecimento indiano milenar.

"Patentes de posições de yoga e marcas registradas sobre instrumentos de yoga têm se tornado excessivas no Ocidente. Até agora, identificamos 130 patentes relacionadas à yoga concedidas nos Estados Unidos", afirmou à BBC Brasil o Dr V.P Gupta, que criou um arquivo digital do conhecimento indiano, a Traditional Knowledge Digital Library (TKDL).

Os especialistas estão pesquisando cerca de 35 textos em sânscrito, incluindo os famosos Mahabharata e Bhagwad Gita para identificar e documentar todos os conceitos, posturas e terminologias conhecidos de yoga.

O livro mais antigo que está sendo documentado deve ser o Yoga Sutras, de Patanjali, segundo Gupta.

Até agora, cerca de 600 asanas já foram documentadas e espera-se que até o fim do ano sejam registradas pelo menos 1,5 mil.

Indústria bilionária

Uma vez identificadas, elas serão incluídas na TKDL e reconhecidas como propriedade pública da Índia.

"Nosso objetivo não é patentear as posições de yoga, já que o conhecimento que já é de domínio público não pode ser patenteado. Como os livros de yoga foram escritos em 2500 a.C., ninguém pode patentear ou registrar a yoga", explicou Gupta.

A medida tem como objetivo, segundo Gupta, reduzir os casos de apropriação indevida das informações, "o que deve evitar os procedimentos custosos de invalidação de patentes concedidas indevidamente", disse Gupta.

"Além de fotos e explicações das posições, serão incluídos vídeos de especialistas praticando as asanas. Também haverá uma explicação gravada que dirá qual texto menciona a posição em questão. As informações estarão disponíveis em cinco idiomas internacionais", acrescentou Gupta.

Estima-se que a yoga virou um negócio de US$ 225 bilhões (cerca de R$ 526 bilhões) no Ocidente. Cerca de 16,5 milhões de americanos praticam yoga e gastam cerca de US$ 3 milhões (cerca de R$ 7 milhões) por ano em aulas.