Obama visitará a Turquia dentro de um mês, diz Hillary

Hillary Clinton e Recep Tayyip Erdogan. Foto: AFP
Image caption Hillary e Erdogan falaram do conflito entre israelenses e palestinos no encontro

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, anunciou que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitará a Turquia em aproximadamente um mês.

Durante uma visita a capital, Ankara, Hillary se encontrou com o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan e disse que o novo governo está comprometido em fortalecer a aliança com a Turquia.

Em uma coletiva de imprensa após o encontro, Hillary anunciou a visita de Obama ao país e disse que tratou de diversos assuntos na reunião com Erdogan, entre eles a importância de uma resolução para o conflito entre israelenses e palestinos.

O ministro das Relações Exteriores turco, Ali Babacan afirmou que o país estaria disposto a retomar o papel de mediador nas negociações entre Síria e Israel, caso os dois países façam o pedido.

A secretária de Estado afirmou também que os dois países iriam consultar o modo mais rápido e eficaz para retirar as tropas americanas do Iraque.

Ankara já havia indicado que permitiria que os Estados Unidos usassem o território e bases turcas para a retirada.

Segundo o correspondente da BBC em Ankara, a visita da secretária de Estado - a primeira de um representante do novo governo dos Estados Unidos - está sendo vista como uma chance de reforçar a aliança entre os dois países.

O governo turco afirmou que a visita de Hillary é uma importante confirmação da relação estratégica da Turquia com os Estados Unidos.

Síria

No mesmo dia da visita de Hillary à Turquia, dois enviados americanos se encontraram neste sábado com o primeiro-ministro da Síria, Walid al-Moallem, em Damasco.

A visita dos diplomatas Jeffrey Feltman e Dan Shapiro é a primeira de oficiais de alto escalão dos Estados Unidos ao país em mais de quatro anos.

Feltman disse que as discussões com o chanceler foram construtivas e cobriram vários tópicos relacionados ao Oriente Médio.

O presidente Barack Obama já havia afirmado que os Estados Unidos querem melhorar as relações entre os dois países depois de vários anos de tensão.

Notícias relacionadas