Ofensiva contra Talebã no Paquistão força 500 mil a deixar suas casas

Crianças paquistanesas do vale de Swat em campo de refugiados internos
Image caption Muitas das famílias abandonaram suas casas sem ter tempo para se preparar

A ofensiva do governo paquistanês contra militantes do Talebã do vale de Swat, noroeste do país, fez com que 200 mil pessoas deixassem a região, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

Um porta-voz do Alto Comissariado para Refugiados da Organização das Nações Unidas (UNHCR, na sigla em inglês) afirmou que outras 300 mil pessoas também resolveram fugir e estão deixando a região.

Estes refugiados internos devem se juntar a mais de 550 mil que já fugiram da área desde agosto de 2008. Segundo a ONU, esta pode se transformar em uma das piores crises de refugiados internos do mundo.

A fuga em massa do Vale do Swat se intensificou na última semana, em meio à ofensiva militar do governo contra o Talebã, que vinha controlando boa parte da região.

Um porta-voz do governo disse que mais de 140 militantes do Talebã foram mortos nas últimas 24 horas.

Na quinta-feira, o Exército informou que pelo menos 10 soldados foram mortos nos combates.

Sem preparo

Há informações de que alguns civis não conseguem deixar áreas controladas por militantes do Talebã.

Dos que conseguiram fugir, segundo agências de ajuda, muitos tiveram que deixar suas casas às pressas e sem preparo para a fuga.

Famílias foram separadas enquanto fugiam e médicos nos campos de refugiados internos contam que já existem muitos casos de traumas psicológicos.

De acordo com o repórter da BBC Anbarasan Ethirajan, os militares paquistaneses estão bombardeando posições do Talebã no vale de Swat usando caças, helicópteros e artilharia. Há informações de que a ofensiva se estendeu para as cidades de Matta, Kabal e Charbagh.

O repórter afirma que a intensidade dos bombardeios aumentou depois de um pronunciamento na noite de quinta-feira do primeiro-ministro do Paquistão, Yusuf Raza Gilani, que ordenou ao Exército que "elimine militantes e terroristas" que atuam no país, em uma referência a simpatizantes e membros da milícia Talebã.

Falando à BBC, o general e porta-voz do Exército Athar Abbas confirmou que o objetivo desta ofensiva militar é eliminar militantes do vale de Swat e regiões próximas.

Abbas afirmou que "os militantes no (vale de) Swat tiveram tempo de se entrincheirar na área, se misturar com as pessoas e, por meio de coerção, medo e usando o terror como arma, eliminar todos os que apoiavam o governo".

O correspondente da BBC em Islamabad Mark Dummett afirmou que a superioridade do governo, em termos de equipamentos militares, poderia garantir uma vitória fácil em batalha normal.

Mas, de acordo com Dummett esta não é uma batalha normal, pois o terreno permite que os militantes do Talebã se dispersem e reagrupem facilmente.

No momento, segundo o correspondente, o governo está confiante de que tem o apoio público para sua campanha militar, mas isto pode mudar facilmente no caso de aumento considerável do número de mortes entre civis.