Obama volta atrás e veta divulgação de fotos de maus-tratos

Image caption As imagens de maus-tratos em Abu Ghraib se tornaram um símbolo da era Bush

O presidente americano, Barack Obama, mudou de ideia e decidiu não permitir a divulgação de novas fotografias mostrando soldados americanos cometendo maus-tratos contra prisioneiros no Iraque e no Afeganistão durante a administração de George W. Bush, disse a Casa Branca nesta quarta-feira.

A Casa Branca havia dito previamente que não iria tentar bloquear uma ordem judicial que determinava a liberação das fotos, afirmando que a gestão Obama seria marcada pela transparência.

Mas o governo americano disse que a divulgação das fotos pode causar revolta contra os Estados Unidos, colocando em risco soldados que realizam missões fora do país.

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, disse que Obama "acredita que a divulgação das fotos pode criar uma ameaça para os homens e mulheres que temos no Iraque e no Afeganistão".

O caso pode agora ser decidido na Suprema Corte americana.

Reação

As fotos deveriam ser divulgadas no dia 28 de maio, em resposta a uma ação legal iniciada pelo grupo de defesa dos direitos civis American Civil Liberties Union (ACLU) há cinco anos.

A entidade disse estar "surpresa e desapontada" com a decisão de Obama e que iria continuar lutando pela publicação das imagens.

A ACLU afirma que as polêmicas imagens mostrando abusos de prisioneiros na prisão iraquiana de Abu Ghraib, divulgadas em 2004, não eram casos isolados, mas sim parte de uma política sistemática.

A organização vinha tentando há anos ter acesso a tais fotografias, mas enfrentou resistência no governo Bush.

As fotografias são referentes a mais de 60 investigações realizadas entre 2001 e 2006.

Notícias relacionadas