Greve ameaça obras de estádios para Copa de 2010

Grevistas em frente ao estádio Green Point, na Cidade do Cabo
Image caption Cinco dos dez estádios do Mundial ainda estão em obras

Cerca de 70 mil operários entraram em greve por tempo indeterminado na África do Sul, nesta quarta-feira, suspendendo os trabalhos nos estádios sendo construídos para abrigar os jogos da Copa do Mundo de 2010.

Os sindicatos pedem um aumento de 13% aos trabalhadores, sob ameaça de atrapalharem os preparativos para o torneio.

Cinco dos dez estádios que devem abrigar as partidas ainda estão em obras, entre eles o Soccer City, em Soweto, que deve sediar a final do Mundial.

Os organizadores, no entanto, dizem estarem confiantes de que os estádios estarão prontos a tempo, a não ser que a greve dure meses.

Infraestrutura

Na segunda-feira, um tribunal rejeitou um pedido feito pelos empregadores para declarar a greve ilegal.

Eles haviam oferecido uma contra-proposta de 10% de aumento, que foi rejeitada pelos sindicatos.

Nesta quarta-feira, centenas de operários se reuniram na frente do estádio de Soccer City para protestar.

"Estamos lutando pelo nosso país", gritavam eles.

Segundo correspondentes da BBC na África do Sul, se a paralisação continuar, há uma grande preocupação com a finalização de uma ferrovia que vai ligar o aeroporto de Johanesburgo e o centro da cidade, prevista para ser inaugurada apenas duas semanas antes do início da Copa.

Muitos dos trabalhadores em greve atuam na construção de infraestrutura de transportes para o torneio.

Esta é a primeira vez que o Mundial será realizado em um país da África.

Notícias relacionadas